Cultura

Museu Europeu em França

O Memorial “ACTe, Caribbean Center of Expressions and Memory of the Slave Trade and Slavery”, em Guadalupe, França, é o Museu Europeu do Ano 2017, segundo um comunicado divulgado, sábado, pelo Fórum Europeu de Museus.

O museu foi seleccionado pela Comissão de Cultura da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa (APCE), numa reunião realizada em Paris, em Dezembro do ano passado. De acordo com a relatora do prémio, a italiana Adele Gambaro, este “museu notável, deslumbrante e inovador enquadra-se precisamente nos critérios do Conselho da Europa”.
“Inicialmente concebido como um memorial, o museu tornou-se não só um lugar vivo e dinâmico para a memória do tráfico transatlântico de escravos e da escravidão, ligando a África, a Europa e as Américas, mas constitui também uma comemoração da resiliência dos seres humanos. Promove a tolerância e abre de forma criativa perspectivas para o futuro”, como consta da página do Fórum Europeu de Museus na Internet.O júri  elogiou ainda os princípios fundadores do museu, cujo papel é tornar o acto de lembrar um meio de produzir uma nova sociedade, com o objectivo de fornecer ferramentas intelectuais para a luta contra as consequências sociais e societais da escravidão, como o racismo, exclusão social, desigualdade e formas contemporâneas de violação dos direitos humanos.
A abordagem interdisciplinar inclui o recrutamento e a formação de pessoal local, a fim de criar um sentimento de pertença e apropriação no bairro muito desfavorecido de Carénage. As horas de abertura tardias tornam ainda o museu num animado centro de artes vivas e um local de encontro para a população local, lê-se ainda na página daquele fórum na Internet.
Da lista dos 46 museus nomeados para o prémio, três eram portugueses, designadamente o Museu de Leiria, o Museu do Dinheiro, em Lisboa, e o News Museum, em Sintra.

Tempo

Multimédia