Museu George Orwell aberto na Índia


16 de Julho, 2014

A casa onde o escritor George Orwell nasceu, em Motihari, uma cidade indiana no estado de Bihar, vai ser transformada num museu destinado a homenagear o autor de “1984” e “O Vil Metal”, informou o jornal “The Guardian”.

O restauro da velha casa de três quartos onde o escritor nasceu em 1903 e que chegou a correr risco de demolição, foi agora iniciado. Depois de classificada pelo Governo indiano em 2012 como património histórico local, o projecto já existia desde há alguns anos.
Além da casa do escritor britânico, as autoridades decidiram também restaurar o antigo armazém onde o pai de Orwell, Richard W. Blair, trabalhou como funcionário colonial e controlador da recolha de ópio, que depois era exportado para a China.
Foi por esta circunstância acidental que Eric Arthur Blair (nome de baptismo do escritor) nasceu em Motihari, no dia 25 de Junho de 1903. Mas, com apenas um ano de idade, acompanhou a mãe, Ida Blair, no regresso a Inglaterra, ao Oxfordshire, e nunca mais voltou à Índia.
“Estou encantado pelo facto de a velha casa onde o meu pai nasceu estar agora a ser restaurada para ser transformada num museu, que vai ser, de resto, o primeiro que lhe é dedicado em todo o mundo”, disse ao “Guardian” Richard Blair, o filho do autor de “O Triunfo dos Porcos”.
Richard Blair faz parte do comité que superintende, na University College de Londres, o arquivo que possui a maior colecção de testemunhos relativos à vida e obra de Georges Orwell, com manuscritos, cartas, livros, fotografias, gravações pessoais – e os seus Diários. Para este trabalho conta que os outros membros do comité aceitem acordar uma parceria com o futuro museu na Índia, que pode passar pelo empréstimo ou reprodução de peças do espólio orwelliano.
O restauro da casa do escritor e jornalista e a construção do museu não foi, contudo, um projecto pacífico na cidade indiana. O facto de dizer respeito a uma família inglesa ligada à exploração colonial motivou o desinteresse, e mesmo protestos, da população.
Motihari faz parte, de resto, do distrito de Champaran, onde, em 1917, Mahatma Gandhi lançou o movimento de desobediência civil que, três décadas depois, levou à saída dos britânicos da Índia.
Em paralelo com a decisão do Governo de Bihar, a salvaguarda e avanço do projecto do Museu George Orwell deveram também muito, recorda o “Guardian”, às iniciativas do empresário local Debapriha Mookherjee e do filho Bishwajeet. O primeiro impediu a demolição da velha casa, quando ela se encontrava em ruínas, e Bishwajeet realizou mesmo um documentário, “Orwell!... But Why?” (2014), para explicar à população da terra quem foi George Orwell.
“As pessoas de Motihai não entendem que, mesmo sendo inglês, Orwell foi um anti-imperialista e escreveu contra a exploração colonial”, disse Bishwajeet Mookherjee ao “Guardian”. “Eu fiz o filme para esclarecer os habitantes de Bihar sobre Orwell, para lhes dizer que um grande escritor nasceu na sua cidade natal e é justo que honremos a sua memória”, acrescentou o responsável.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA