Cultura

Afrojazz de Sandra Cordeiro no palco do Palácio de Ferro

A cantora Sandra Cordeiro realiza um espectáculo de afrojazz hoje, às 20 horas, ao palco Ngola do Palácio de Ferro, sede da III Trienal de Luanda, interpretando os temas “Esquece”, “Tempo”, “Vou viver”, “Um beijo teu”, “Jiminina”, “Hoje”, “Talvez um dia”, “Não dá mais voltar” e “Luandense”.

A cantora apresenta-se com Isaac Macondozo (teclado), Hugo Macedo (teclado), Mauro Pereira “Max” (guitarra solo), Randie Gouveia (guitarra baixo), Apolinário Carlos (bateria), Dalú Roger (percussão), Sara Dem e Ernestina Benjamim (coros), que vão tocar músicas dos discos “Tata Nzambi” (2008) e “Luandense” (2012).
A carreira musical de Sandra Cordeiro teve início aos 12 anos de idade, como solista na Igreja do Carmo, em Luanda. Mas foi em 2001, já com 16 anos, no concurso “Estrelas ao Palco”, promovido pela Luanda Antena Comercial (LAC), que despontou, ficando em quinto lugar com a interpretação do tema “I’m outta love” da cantora norte-americana Anastacia.
Após o lançamento do primeiro disco em 2008, a artista gravou quatro anos depois, em Angola, África do Sul e Brasil, o CD “Luandense”, com a participação de Filipe Mukenga, Totó, Jack Nkanga e Kizua Gourgel, tendo produção de Paulo Calasans, Jimmy Dudlu, Nino Jazz e Coréon Dú.
Iniciada a 1 de Novembro de 2015, a III Trienal de Luanda decorre até finais de Agosto do corrente ano, sobre o tema “Da utopia à realidade”. Esta iniciativa cultural visa recuperar, preservar e divulgar as obras e os criadores angolanos que exercem a actividade em várias disciplinas artísticas.
Com uma abrangência que vai da arte tradicional à multimídia, a III Trienal de Luanda, com sede no Palácio de Ferro, apresentou, desde Novembro de 2015 a 26 Março de 2017, 1.903 eventos de artes visuais, cénicas, música, literatura e educação, com a participação de 2.532 artistas, tendo sido visitada por 148.238 espectadores, em 438 dias de actividades.

Tempo

Multimédia