"Best of" revisita principais momentos da carreira

Jomo Fortunato |
20 de Março, 2017

Fotografia: Edições Novembro

 A aparição no mercado do disco “Saudade”, em Julho de 1995, marcou o início da produção discográfica de Derito, com os sucessos, “Kissangi” e “Na minha banda”, a última uma composição do cantor e compositor Carlos Lopes.

“Saudade”, canção que dá título ao álbum, consta de uma compilação editada na Alemanha, onde figuram importantes nomes da Música Popular Brasileira com destaque para Martinho da Vila, Gilberto Gil e Maria Bethânia. Com o CD Álison, 1996, Derito inicia um processo de maior abertura a experiências musicais de consumo internacional, com as canções “Quitanda da vida”, “Intumba” e “Ocikembe”, revelando um artista de múltiplos recursos melódicos, preocupado com a valorização do umbundu e atento a uma mais cuidada elaboração textual.
A participação especial no álbum “Discernimento” de artistas de renome internacional como Hugh Masekela, África do Sul, Manu Dibango, Camarões, Paulo Calasans, Brasil, Jacob Devarieux, Gualdalupe, Guy Nsangue, Camarões, Marcelo Martins, Brasil, Jean Claude Naimro, Gualdalupe e Pedro Jóia, Portugal, marcou a aproximação do cantor a autores consagrados da world music, optando por uma estratégia de diálogo e refinamento da sua obra, visando a recepção do seu trabalho no contexto da crítica musical mais exigente.
O conjunto da obra musical de Derito é a construção de uma estética cujos sinais começaram a ser visíveis no álbum “Álison”, 1996, e se acentuam em “Discernimento”, 2004, com as canções “Nzambi Ngó” e “Barra do Kwanza”, dois temas elaborados em parceria com o falecido cantor e compositor angolano, André Mingas. Derito regravou o tema “Quitanda da vida”, que teve a sua primeira versão no CD Álison, no álbum “Discernimento”, com a participação de Manu Dibango, no saxofone alto e Pedro Jóia, na guitarra flamenga. Lançado no mercado angolano em Dezembro de 2016, “Best of”, o CD mais recente de Derito, reúne dez faixas musicais e marca os trinta anos da carreira do cantor.
O CD teve participação simbólica dos Kassav, representado por Jacob Desvarieux, guitarra eléctrica e produção, George Décimus, guitarra baixo, e Jean Claude Naimro, piano e sintetizadores. Participam ainda no CD, para além de Derito, guitarra acústica, voz e pré-produção, Thomas Bellon, bateria, Ribera Bruno, saxofone tenor, Mula Erica e Adam Fabrice, trompetes, Hamid Belhocine, trombone, Joãozinho Morgado, congas, Jorge Mulumba, dikanza e puíta, Mila Makomba e Stela, coros. “Best of” inclui os temas “Cabo Verde, terra sabe”, “Saudade”, “Ngala ni gienda”, “Esanda”, “Intumba”, “Kissange”, “Saudade que não tive”, “Manuele”, “Etu”, e “Kissange”, instrumental. Derito tem registado um vídeo denominado “Recantos de Angola”, 1998, e gravou um single, dedicado aos Palancas Negras, 2006, selecção nacional de futebol de Angola, por ocasião do CAN e da Copa do Mundo, na Alemanha, tendo sido, igualmente, o autor do hino do Afrobasket, em 2007.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA