Cultura

C4 Pedro doa milhões ao Instituto ONUSIDA

Kátia Ramos |

No final do espectáculo, o cantor procedeu à entrega de um cheque no valor de cinco milhões de kwanzas ao director da ONUSIDA em Angola, para apoiar programas de combate e prevenção da Sida, desenvolvidos pelo programa conjunto das Nações Unidas para o HIV/Sida (ONUSIDA).

Cantor festeja uma década de carreira com a realização de um espectáculo de beneficiência
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Satisfeito por cumprir com o seu dever social e ajudar pessoas portadoras de HIV, bem como o combate à descriminação, C4 Pedro garantiu que vai prosseguir com a acção solidária por ter sido nomeado, em 2011, embaixador da Boa Vontade, “mas foi numa altura em que tive a agenda preenchida de trabalhos e iniciativas de solidariedade estavam cada vez mais escassas.”
O artista recordou que, durante o seu mandato, como embaixador da Boa Vontade as dificuldades vividas pelos seropositivos motivaram-no a fazer alguma coisa como cidadão.
“Ganhei consciência do que realmente se passa, por isso decidi ajudar a instituição a combater e prevenir a doença com alguns valores, espero que sirva de exemplo, pois várias são as instituições que estão a apostar nesta acção, à semelhança do BPC.”
O director do programa conjunto das Nações Unidas para o combate ao VIH/Sida (ONUSIDA), em Angola, Michel Kouakou, disse ao Jornal de Angola que o acto realizado pelo músico demonstra à sociedade que tem que se prestar assistência aos que estão em vida a sofrer com a estigmatização e dividir amor para os que precisam. Michel Kouakou fez saber que, dentro da implementação das metas tendentes a erradicar o VIH/SIDA, estão de igual modo preocupados com a questão da saúde reprodutiva sexual. “Estamos a trabalhar com as pessoas vivendo com VIH/Sida, saúde reprodutiva e sexual para com os jovens, combate à violência doméstica, igualdade do género, ao respeito e à dignidade, combate ao estigma e discriminação.
O VIH/Sida é uma epidemia que está a afectar muito a região e Angola apesar de ter uma prevalência baixa está vulnerável ao possível aumento da epidemia.
A organização internacional está a trabalhar para estratégia global sobre o VIH, com vista a progredir para se acabar com a epidemia da Sida até 2030.
Segundo ele, Angola tem um plano estratégico nacional que vai de 2015 a 2018, conformado com as estratégias globais que implicam atingir, até 2020, 90 por cento de pessoas seropositivas a conhecerem o seu estado serológico, aumentado a testagem, e garantir acesso ao tratamento. Prevê-se também que 90 por cento de infectados e 90 de pessoas em tratamento tenham supressão da carga viral, o que significa que não contaminarão outras pessoas, disse.

Carreira do cantor


C4 Pedro é o nome artístico de Pedro Henrique Lisboa Santos. Deu os seus primeiros passos na música na Bélgica, onde viveu durante dez anos.
O artista confirmou que vive, actualmente, um dos melhores momentos da sua carreira, pela conquista, recentemente, do troféu Melhor Artista da Lusofonia, do concurso MTV “Africa Music Awards“, que decorreu em Joanesburgo, África do Sul.
C4 Pedro é considerado um dos cantores de sucesso da nova geração, tal como Anselmo Ralph, Matias Damásio, Nsoki e Pérola, entre outros.
Lançou 3 álbuns, designadamente “Lágrima Rhinos”, com o seu irmão mas novo Lil Saint, e outros álbuns como “Calor e Frio” e “King Ckwa”. C4 Pedro também fez um álbum, em 2013, em colaboração com o rapper Big Nelo, intitulado “B4 Los Compadre”.
O seu terceiro álbum, “King Ckwa”, foi o mais aclamado pela crítica e o mais vendido no país, em 2015.
Em 2013, C4 Pedro ao criar o grupo B4, surgiu a primeira música “É Melhor Não Duvidar”, cujo vídeo atingiu mais de 25 milhões de visualizações no Youtube e o grupo percorreu vários países até ao fim do projecto em Setembro de 2015.
O cantor já foi considerado “O rei do kizomba“, mas garante que não fica por aqui. É filho de Lisboa Santos, também cantor, e a sua mãe é estilista.

Tempo

Multimédia