Cultura

Casa Njinga Mbande recebe Ângela Ferrão

Mário Cohen

Ângela Ferrão actua hoje, às 19h00, na Casa de Cultura Njinga Mbande, no Bairro Nelito Soares, Distrito do Rangel, em Lunada, marcando o primeiro  espectáculo de 2018.

Autora de “Wanga” actua hoje no distrito urbano do Rangel
Fotografia: Edições Novembro

Para enriquecer e diversificar o espectáculo, a autora de “Wanga” convidou o duo Canhonto, com Ekuiki e Mito.
O espectáculo tem a duração de mais de uma hora. Ângela Ferrão vai interpretar  sucessos dos dois discos “Wanga” (feitiço) e “Minhas Raízes”, que inclui as canções  “Céu azul”, “Lázaro”, “Tudo enfim” e “Wanga”.
Além da sua excelente voz, Ângela Ferrão é uma cantora que também interpreta  músicas em kimbundo, como “Wanga”,  canção que na qual se afirma ser o seu cartão de visita desde que apostou na carreira a solo.
Para além da voz, que se assume como principal ferramenta, Ângela Ferrão também executa muito bem a guitarra (viola), instrumento este que sempre se faz acompanhar nos espectáculos. Para ela, trata-se de um hábito, “que jamais deixarei”. A autora de “Céu azul” deu a conhecer que durante o espectáculo vai ser vendido  o seu mais recente trabalhos discográfico, incluindo assinatura de autógrafo.
Ângela Ferrão nasceu a 7 de Maio de 1976, na fazenda Companhia Angolana de Agricultura, grande produ-tora de café, nos arredores de Amboim, município da Gabela. Aos dez anos foi viver com o pai para o município da Cela. Aprendeu a tocar guitarra e a cantar  com o seu pai, Manuel Paulino Ferrão, compositor musical, e tocador de guitarra.
À medida que o tempo foi passando, Ângela Ferrão foi aperfeiçoando o seu talento musical. Em 14 de Outubro de 2007, concretizou o seu maior sonho, com o lançamento do disco “Wanga”, gravado no estúdio Kriativa Records, com nove canções: “Lua uanu”, “Mena ya Simba”, “Wanga”, “Me leva”, “Sala kanawa”, “Tudo enfim”, “Vovô Rosa”, “Perdoa-me” e “Não te vais embora”.

Tempo

Multimédia