Concerto dos Kiezos amanhã em Portugal

Roque Silva |
16 de Julho, 2016

Fotografia: Kindala Manuel

Os Kiezos realizam hoje um espectáculo na Casa da Música do Porto, a partir das 22 horas, no âmbito da III Trienal de Luanda, que decorre até Novembro.

O espectáculo em que participa também a Banda Next mistura a tradição e a modernidade angolanas.
O concerto enquadra-se no projecto “Ressonância Magnética Cultural | Dipanda Forever”, numa programação que encerra domingo, no Porto, com a exibição da peça de teatro “Laços de Sangue”, do grupo Núcleo Experimental de Teatro (NET).
A banda fundada em 1965 parte para Portugal com a sua primeira formação. Os Kiezos vão apresentar na cidade do Porto semba de raiz, com a participação de Gregório Mulato e Manuelito Claudino (voz), Gegé Faria (contra baixo), Zeca Tirilene (viola ritmo), Tony Samba (teclado), Abana Maior (tumbas), João Diloba (bateria), Horácio Dá Mesquita (concertina), Dulce Trindade (viola baixo) e Hildelbrando Cunha (voz e viola).
A Banda Next interpreta temas de fusão da Música Popular Angolana, rock e soul music, entre outros estilos, das décadas de 60, 70 e 80 do século passado. A formação, integrada por músicos experientes e jovens, liderada por Nuno Mingas, proporciona um som agradável aos apreciadores da boa música.
Mistura de canções de Artur Nunes com Pink Floyd, Proletário com Sting, textos políticos e culturais e música do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, poesia de Agostinho Neto e uma incursão nos lamentos angolanos e nos blues norte-americanos, são alguns dos exemplos da proposta musical da Banda Next.

"Laços de Sangue"


O Núcleo Experimental de Teatro (NET) apresenta amanhã, na Galeria Municipal do Porto - Auditório Almeida Garrett, a peça “Laços de sangue”, sobre discriminação racial. A peça, uma adaptação de José Mena Abrantes e Rogério de Carvalho, do espectáculo homónimo do dramaturgo sul-africano Athol Fugard, aborda também a consanguinidade entre os seres humanos.
Apeça conta a história de dois irmãos, Morris (mestiço), papel interpretado pelo actor Raúl do Rosário, e Zacarias (negro), por Meirinho Mendes, instruídos de forma diferente por terem a cor de pele díspares. Ambos, um analfabeto e outro letrado, partilham o mesmo quarto num subúrbio de uma cidade sul-africana na época do “apartheid” e tentam várias formas de aliviar o tédio.
O grupo é uma formação da III Trienal de Luanda, em parceria com o grupo Elinga Teatro.
A obra original, de Athol Fugard, já foi apresentada em Niterói (Brasil), no Centro Cultural Brasil - Angola, no Palácio de Ferro de Luanda, em Viana e Catete.

"Entre sete e sete rosas"


Kyaku Kyadaff realiza amanhã, às 21 horas, no Palácio de Ferro, um concerto integrado na programação da III Trienal de Luanda.
O músico interpreta temas do seu primeiro trabalho discográfico, intitulado “Se hungwile”, lançado em 2014, entre outros mais recentes.
“Bibi”, “Kilamba” e “Entre sete e sete rosas” são algumas canções que Kyaku Kyadaff vai interpretar. O cantor e compositor Kyaku Kyadaff vai ser acompanhado por Dalú Roger (percussão), Nino Jazz (teclado), Berlin Bass (guitarra baixo), Sankara (guitarra ritmo), Adónis Leon (saxofone), Raidel Gonzalez (trompete), Rock Kanamo (teclado), Sutana e Nzambi (coros).
Kyaku Kyadaff participou no Variante 2009 e no Festival de Canção da Luanda Antena Cormercial (LAC), edição 2010.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA