Cultura

Da Lomba é cartaz no Espaço Aplausos

Roque Silva |

Euclides da Lomba  e a Banda Maravilha levam o melhor da sua discografia à Centralidade do Sequele, em Cacuaco, num concerto a ser realizado amanhã, a partir das 10h00, no recinto cultural Espaço Aplausos.

Autor de “Livre Serás” é o cartaz do espectáculo de amanhã na centralidade do Sequele
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

O espectáculo vai celebrar o primeiro aniversário do referido espaço de formação e promoção de artes e cultura, e além da música, o público tem a oportunidade de apreciar os pratos típicos de várias regiões do país.
Aguardados com expectativa na Centralidade do Sequele, por ser a primeira vez que a cidade recebe nomes consagrados da música angolana, Euclides da Lomba e os “Embaixadores do Semba” realizam performances intercaladas, com a duração de duas horas.
O tempo é suficiente para entreter o público e os repertórios, com um total de 20 temas, dois convites aos apreciadores dos estilos que predominam a discografia de ambos, onde o semba, kizomba, bolero e rumba têm maior notoriedade.
A Banda Maravilha propõe-se interpretar canções inéditas, previstas para incluir no quinto disco de originais “Entre Amigos”, cuja finalização está comprometida por dificuldades financeiras.
Segundo o baterista Marito Furtado, a performance da Banda Maravilha é baseada numa montada há algum tempo e apresentada noutros locais onde o conjunto se exibe com regularidade, destacando temas como “Meu amor da rua 11”, “Palame”, “Rebita”, “Nguitabué” e “Nguxi”, dos álbuns “Angola Maravilha” (1997), “Semba Luanda” (2001), “Zungueira” (2005) e “A Maravilha e os Kambas” (2006).
A actual formação dos Embaixadores do Semba integra Moreira Filho (viola baixo e voz), Marito Furtado (bateria), Miqueias Ramiro (teclados), Isaú Baptista (guitarra e voz), Luís Costa (percussão) e Djanira Mercedes (coros). Pela banda passaram também Carlitos Vieira Dias (solo e voz), Joãozinho Morgado (tumbas), Kinito Trindade (baixo) já falecido, Rufino Cipriano (teclas), Carlos Venâncio e Nelas do Som (guitarra), Chico Santos (tumbas e voz), Pirika Duia (violão e voz) e João Oliveira (teclas). De Cabinda a Luanda surge, uma vez mais, a Luanda o romântico músico e compositor para recordar os mais de trinta anos de carreira, cujo início em 1998 fica marcado pelo primeiro grande sinal de sucesso, com o lançamento do álbum “Livre Serás”.
Esse deu sequência aos discos “Desejo Malandro”, em 2000, “3 em 1 CD - Grandes Sucessos”, (2016) e “País Que Venero”, apresentado em Fevereiro, que integram canções como “Caso de Amor e Ternura”, “Angústia Fatal”, “Tchutcha”, “Regressa”, “Buscando seu Corpo”, “Parandeira”, “Jeito Atrevido”, “Mil Motivos”, “Desejo Malandro”, “Recado dum Semba” e “Quem me Ama”, todas elas parte do alinhamento que tem o suporte instrumental da Banda Maravilha.
Com créditos firmados, Euclides da Lomba que já realizou mais de 280 performances em diversificados eventos, começou a carreira musical como trovador, em 1984, em Cuba, na Ilha da Juventude, onde fez a sua formação académica.
As actuações da banda e do músico são antecedidas de música ambiente, por Dj Nibox.  O produtor da actividade e gestor do espaço informou que o artista realiza uma sessão de vendas e assinatura de autógrafos da sua discografia.
Em declarações ao Jornal de Angola, Cabingano Manuel deu a conhecer que além do carácter cultural, a actividade tem o seu cunho social pois as verbas adquiridas com a vendas dos bilhetes servem para a manutenção do Espaço Aplausos e as aulas de música, teatro e dança (ballet) que nele leccionam.
Na ocasião, disse, as instituições e pessoas singulares parceiras do projecto de formação e promoção de artes e cultura vão ser distinguidas com diplomas de mérito.

Tempo

Multimédia