Cultura

Damásio interpreta sucessos em Luanda

Roque Silva

Matias Damásio realiza, hoje, a partir das 22 horas, no espaço Lookal, na Ilha do Cabo, em Luanda, um concerto no qual pretende “matar saudades” com os apreciadores da sua música.

Cantor interpreta os seus melhores sucessos de carreira
Fotografia: Paulo Mulaza|Edições Novembro

Recém-chegado de Portugal onde esteve numa digressão, após os espectáculos em Benguela e no Huambo, que visou apresentar o disco de ouro atribuído pela multinacional Sony Music, o cantor e compositor reencontra os angolanos quatro meses mais tarde numa apresentação a qual vai desfilar na companhia de outros nomes da música nacional.
A produção não adiantou os nomes dos artistas convidados, por considerar surpresa, mas o Jornal de Angola soube que vão desfilar vozes da antiga e nova geração. Alguns  têm trabalhos de parceria e outros desenvolvem excelentes relações de amizade com  Matias Damásio.
O reportório para o concerto integra uma lista que ronda entre 18 e 20 temas, incluindo dos convidados, disse o agente de Matias Damásio, após confirmar que este privilegia os êxitos de maior referência.
Fruto da sua capacidade de composição e interpretação, que reflecte emoções dos angolanos e o desejo de ver Angola como uma nação nova, o artista conquistou consideráveis distinções no estrangeiro e no país, como Artista Mais Querido em duas ocasiões, pelo concurso da Rádio Nacional, com os temas “Porquê” e “Kwanza Burro”, motivo pelo qual se presume que façam parte da relação que pretende interpretar, além dos sucessos “Bomba”, “Angola País Novo”, “Loucos” e “Beijo Rainha”.
Mota Lemos prometeu uma produção de qualidade e “ao nível da actual figura” que Matias Damásio representa para a música angolana, de acordo com as conquistas alcançadas, a crítica e a aceitação dos apreciadores da música angolana nesses seus 10 anos de carreira.
O agente revelou ainda que Matias Damásio está insatisfeito por não poder cantar sequer metade do seu repertório, composto por mais de 40 temas, fruto do pedido dos fãs.
“Estamos a preparar um concerto não muito diferente do que se tem apresentado ao longo dos anos, mas que seja inesquecível para o cantor e os fãs, num ambiente mais restrito, onde ambos possam estar mais próximos. Ele gostaria de poder cantar muito mais músicas, só que a produção é quem decide”, disse.

Tempo

Multimédia