Dia Mundial aplaudido pelos reclusos

Afonso Costa | Namibe
5 de Outubro, 2014

Fotografia: Laurindo Augusto | Namibe

A música como a arte da expressão de sentimento através de sons é a combinação exigente entre harmonia de várias pessoas, que pode ser produzida por instrumentos, afirmou a directora provincial da Cultura no Namibe.

Euracema Ambrósio, que falava a propósito do 1 de Outubro, Dia Mundial da Música, durante uma iniciativa realizada no Centro Prisional da Comarca, referiu que a direcção que dirige tem desenvolvido um trabalho para potenciar os músicos locais, de forma a elevar os criadores da região a nível nacional.
Os músicos, sublinhou, devem redobrar esforços para atingir níveis mais elevados de qualidade, uma vez que hoje o mercado artístico é cada vez mais exigente.
A direcção da cultura ofereceu ao centro prisional um batuque e material didáctico para ocupar da melhor maneira os momentos de lazer e aumentar o nível académico dos reclusos.
O intendente Pedro Totó, dos serviços da penitenciária, agradeceu o gesto da direcção da cultura por escolher aquela unidade para a realização do acto provincial do Dia Mundial da Música.

Intercâmbio cultural

Presente na iniciativa, o músico Cândido Ananás disse que no Namibe a música está melhor em termos de interpretação e aconselhou os jovens músicos da província a trabalharem mais a qualidade.
“Tenho um forte intercâmbio com muitos jovens do Namibe. Os que trabalham comigo têm menos de 35 anos e estou sempre disposto a passar aquilo que sei, a orientá-los com palavras, porque não é só saber tocar”, frisou.   “É bem verdade que a música gravada num estúdio bem equipado tem outra qualidade, mas os custos rondam os três mil milhões de kwanzas e os nossos jovens não têm essa capacidade”, salientou o músico.
Cândido Ananás adiantou que todo o trabalho tem valor e os produtores devem respeitar o dos músicos, porque eles devem merecer uma atenção especial.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA