Cultura

Emoção e criatividade apresentadas em ópera

Amilda Tibéria |

Emoção, criatividade e muita interacção com os espectadores foi o que se constatou durante a homenagem dedicada ao compositor e intérprete Kizua Gourgel, pelos alunos do Complexo de Escolas de Arte (Cearte), um musical de teatro denominado “Retrato de um artista desnudo”, realizado, quarta-feira à noite, no Camões - Centro Cultural Português, em Luanda.

O espectáculo desvendou resumidamente a vida e obra do músico Kizua Gourgel
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Com uma entrada triunfal, o elenco do musical de teatro “Retrato de um artista desnudo” criou momentos de alguma nostalgia, quando interpretou alguns trechos musicais da autoria do malogrado Beto Gourgel, uma das fontes inspiradoras de Kizua.
Para o número de espectadores, a sala de espectáculo denominada “Pepetela”, foi pequena para se assistir ao musical, interpretado pelos personagens: Kizua1 e Kizua 2 (Márcio), Kizua 3 (Dalas), Beto Gourgel (Nani Vuvayana), Eila Letnem (Marisa Santos), Tia Nonó (Marisa Santos), Rui Mingas (Silva Canganjo) e Polícia (Silva Canganjo).
O elenco contou igualmente com o suporte de outros personagens como o noivo, interpretado por Silva Canganjo, jornalista, por Kassandra Pascoal, conservadora na voz de Kassandra Pascoal, o empresário Pedro Kalunga, Gingo, com Pedro Kalunga, Nazareth Gourgel, por Danilsa Gonçalves, Barman por José Lucas, noiva interpretada pelo actor Lumengo e os bailarinos, Pascoal, David Daniel, Moisés Simão André, Jones Brita e Julieta Simão.
Com uma produção executiva de Edusa Chindekasse e Waldano Luvungo, o musical teve a duração de duas horas. O musical, que volta a ser exibido no mesmo local e hora, na próxima quarta-feira, mostrou mais uma vez o grande trabalho que tem sido desenvolvido pelo Cearte, na promoção das mais variadas disciplinas artísticas, com particular destaque para o teatro e a música.

Um tributo às artes


Enquadrado no projecto cultural “Retrato”, o espectáculo desvendou resumidamente a vida e obra de um “artista criador, autêntico e humanista, cujas criações sobreviveram ao tempo e superaram os limites do tempo e espaço”, reafirmou o coordenador do projecto e estudante do Cearte, Silva Canganjo.
Dirigido por José Teixeira “Chetas”, o musical, disse ao Jornal de Angola, Silva Canganjo, vai ter continuidade, de forma a distinguir figuras ligadas às artes, que se destacam na criação artística “como inspiração e referência para a juventude.”
Silva Canganjo frisou que as músicas do homenageado “inspiram os criadores e, por este motivo, decidiram criar o musical.”
Silva Canganjo começou a pesquisar sobre a carreira de Kizua Gourgel em Abril desse ano, entrevistando pessoas próximas ao distinguido, que desempenharam um papel importante no crescimento profissional do autor do tema de sucesso “Tetembwa ya Muenho Uami”.
Kizua Gourgel agradeceu a iniciativa, disse ter sido um “momento único na sua carreira” e que foi a primeira vez que recebeu uma homenagem do género. O homenageado explicou que os alunos da Cearte “fizeram uma apresentação marcante sobre a minha trajectória. Consegui recordar momentos que, jamais, vão ser esquecidos”, confessou com lágrimas no canto dos olhos o atista homenageado, num gesto de agradecimento à produção do musical.
No final do musical de teatro “Retrato de um artista desnudo”, os alunos fizeram uma vénia e em uníssono agradeceram ao homenageado numa mensagem em coro: “Kizua Gourgel, fizemos-te a vénia e tirámos o chapéu, és a nossa estrela.”

Tempo

Multimédia