Espectáculo homenageia Agostinho Neto


17 de Setembro, 2015

Fotografia: Nilo Mateus

Um festival de música, dança e teatro tem lugar hoje, no Centro de Formação Musical e Artes Cénicas de Caxito (CEFOMAC), na província do Bengo, no âmbito das festividades do Dia do Herói Nacional, disse ontem a secretária-geral da instituição.

Mariana António disse que o festival visa ainda comemorar a data da criação do CEFOMAC. A organização convidou para o festival a companhia de teatro Sementes D’artes de Caxito e os grupos de dança Bons Estilos e Bailado do Jacaré Bangão.
Mariana Afonso adiantou que no mesmo dia são apresentados os livros “Histórias não contadas”, do escritor Diagonal Wagiza, e o “Reencontro com as literaturas africanas de língua portuguesa”, de Claúdio Fortuna. O CEFOMAC foi criado com o intuito de promover e desenvolver a educação artística e cultural através do ensino da música, dança e teatro, bem como contribuir para a democratização da cultura na sociedade.

Mais divulgação

Os criadores convidados à Feira do Livro e do Artesanato da Huíla defenderam ontem, no Lubango, a necessidade de uma maior divulgação das actividades culturais locais.
Para os criadores, as actividades culturais como esta representam uma oportunidade inigualável para a valorização e expansão da qualidade e venda dos diferentes produtos culturais. “Caso sejam realizados mais feiras culturais, temos a possibilidade de divulgar mais os trabalhos feitos. Por isso, é importante que a aposta do Executivo na promoção das artes continue”, disse. Esta foi a segunda edição da feira, promovido pela direcção provincial da Cultura.

Mostra em Londres

A vida e obra de Agostinho Neto é o tema principal de uma exposição fotográfica inaugurada hoje na Embaixada angolana em Londres, para mostrar as diferentes etapas do percurso do primeiro Presidente da República e também fundador da Nação angolana.
A mostra, composta por 253 fotografias, saúda o Dia do Herói Nacional e ilustra a figura de António Agostinho Neto como patriota, político, poeta e homem de cultura. O papel determinante do Poeta Maior na luta de libertação nacional é enfatizado na exposição, refere a Embaixada angolana em Londres, em comunicado. “Trinta e seis anos depois do seu desaparecimento físico, os ensinamentos de António Agostinho Neto continuam vivos”, continua a comunicado, que conclui: “A aposta do Executivo em desenvolver  o país e o amplo diálogo com a juventude mostram que o legado de Neto é uma aspiração já enraizada na memória colectiva dos angolanos.”

Contributo de Neto


O contributo de António Agostinho Neto, como poeta, no enriquecimento da literatura angolana foi destacado ontem, em Ondjiva, capital da província do Cunene, numa palestra orientada pelo director da Educação, Lúcio Ndinoiti.
O orador sublinhou que a obra de Agostinho Neto ajudou a literatura angolana a ter um papel importante no despertar das consciências para a  Independência Nacional.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA