Euclides da Lomba no "Show do Mês"

Honorato Silva |
7 de Setembro, 2016

Fotografia: DR

“...Os botões da tua blusa/espalhados pelo chão/e aquela roupa miúda/no banheiro se esqueceu/a emoção daquele momento/ainda hoje está presente/ai amor da minha vida/nunca tive igual querida...”, assim cantaram os admiradores de Euclides da Lomba, no Show do Mês, num casamento consumado depois de dois anos de “namoro”.

As duas noites de espectáculo abrilhantadas pelo músico, sexta-feira e sábado, no projecto da Nova Energia, culminaram em sucesso, razão pela qual os fãs do cantor e os seguidores do referido conceito cultural, os denominados “showistas”, pedem a repetição do concerto.
Num movimento público levado a cabo na rede social Facebook, os apreciadores do músico que chegou de Cabinda, na segunda metade da década de 90, para encantar e conquistar Angola com as suas canções salpicadas de amor, pedem a realização de um “Show do Mês” extra, à semelhança do que aconteceu com Gabriel Tchiema e a obra “Mungole”.
Os mais ousados indicam o espaço para o reencontro com o cantor romântico que apela à sinceridade quando se fala de amor, como fez questão de vincar durante as actuações. O Royal Plaza Hotel no Talatona, já baptizado “Olympia de Luanda”, numa alusão à mítica sala de Paris, considerada uma “meca” da música mundial, é a escolha da maioria, mas há mesmo quem avance o Centro de Conferência de Belas (CCB), no Futungo II.
A Nova Energia ainda não reagiu ao desejo manifestado pelos fãs de Euclides da Lomba. Yuri Simão, coordenador do projecto apoiado pelos bancos Keve, BAI, Fundação Sindika Dokolo, Revista Carga e Rádio Nacional de Angola, anunciou a próxima estação da terceira temporada do Show do Mês, marcada para os dias 30 de Setembro e 1 de Outubro.
Músicos da nova e da velha geração cantam em duas noites os sucessos de Angola 70. Mas os mentores da campanha não desarmam. Falam inclusive na recolha de assinaturas a favor da repetição do espectáculo.

Show memorável

Afastado dos palcos há vários anos, Euclides da Lomba cantou para uma sala lotada. Emocionou-se na música dedicada à matriarca da sua família. A canção que nunca conseguiu gravar, segundo confessou, retrata a história da mãe que chegou de Cabo Verde e, com apenas 15 anos, assinou um contrato, ganhando a vida no “trabalho escravo”. A plateia, reforçada pelas irmãs Aldina Catembo (governadora de Cabinda), Amélia e Raquel da Lomba, ambas ligadas às artes, aplaudiu o momento.
Depois de um namoro de mais de dois anos, o autor das obras “Livre Serás”, 1998, “Desejo Malandro”, 2002, “Recado Num Semba”, 2004, e “Colectânea”, 2014, recordou os sucessos que fazem de si uma referência em Angola. Todos os temas foram cantados do princípio ao fim pelos espectadores.
As canções “Tchutcha”, “Caso de Amor e Ternura”, “Falso Confidente”, “Regressa”, “Desejo Malandro”, que sustentou a sua consagração como o melhor do Top dos Mais Queridos de 2002, e “Recado Num Semba” rechearam durante duas horas, em dois dias, o concerto executado pela banda “Show do Mês” formada por músicos angolanos, cubanos e português.
Do Congo Democrático, veio Lutchiana Mobulo 100%, convidado que além da apurada forma vocal, exibiu dotes físicos no campo da dança, ao fechar a exibição com um número acrobático. Bruno Manuel Nettho deu um toque lírico ao “Livre Serás”, o apelo para a esperança, de Euclides da Lomba, ao menino da sanzala, onde as mães morriam de fome.
Na interacção com a plateia, o homem da noite, licenciado em Música por uma universidade cubana, elogiou o projecto: “Agradeço ao Yuri Simão e à equipa do Show do Mês, por me terem convencido a subir a esse palco, que valoriza o músico angolano. Gosto deste conceito de espectáculo, contrário àquele onde temos pessoas a comer e a beber. Com o avançar da idade, tenho tido mais dificuldades em aceitar convites. A Nova Energia teve paciência comigo, por isso estou aqui, a partilhar esta dádiva de Deus com os meus compatriotas”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA