Festa da música aposta em duas gerações


30 de Setembro, 2014

Fotografia: AFP

O Rock in Rio aposta em duas gerações diferentes de músicos na estreia do festival nos Estados Unidos, com um elenco que inclui, entre outros, Metallica, Taylor Swift, John Legend, Linkin Park, Deftones e No Doubt.

A organização, que há semanas trabalha em Las Vegas, a “cidade dos jogos”, escolhida para a festa do rock, pretende realizar em 8, 9, 15 e 16 de Maio espectáculos únicos para celebrar os 30 anos de existência.
As primeiras acções de promoção do festival de música foram feitas na Times Square, Nova Iorque, onde centenas de pessoas assistiram às actuações dos brasileiros Sepultura e do norte-americano John Mayer.
A vice-presidente do Rock in Rio, Roberta Medina, disse em conferência de imprensa que, além das novidades da primeira edição do festival nos Estados Unidos, em 2015 os 30 anos do festival também são celebrados na cidade que o viu nascer, Rio de Janeiro, onde em Setembro há concertos de Katy Perry e John Legend.
A organização também anunciou que foram feitas 30 mil reservas de bilhetes para o Rock in Rio Las Vegas, que para os fins-de-semana custam 298 dólares.
A realização do festival nos Estados Unidos nasce de uma parceria da organização do Rock in Rio com Ron Burkle, o Cirque du Soleil e a MGM Resorts, empresa responsável pela construção da futura Cidade do Rock.

O anúncio

Donald Sutherland, que recentemente foi o vilão da série cinematográfica de ficção científica “Jogos da Fome”, integra a campanha publicitária que a organização do festival preparou para entrar no mercado norte-americano.
Este é apenas um dos vários passos do projecto de comunicação do festival nos Estados Unidos, que tem um investimento de 25 milhões de dólares, disse Roberta Medina. O Rock in Rio, afirmou, estabeleceu parcerias com a rádio iHeartRadio, o site Yahoo e a rede NCM Networks.

A maior cidade


A edição norte-americana do Rock in Rio, que tem o maior recinto do festival, ocupa 15 hectares e tem capacidade diária para 85 mil espectadores.
O presidente do Conselho de Administração (PCA) do Rock in Rio, Luís Justo, referiu que o terreno “é maior do que as outras Cidades do Rock”.
“Por isso pudemos ousar e colocar outras novidades”, declarou. Algumas das novidades, disse, são Rock Street, que “em Lisboa, por exemplo, era apenas uma rua temática dedicada à música e cultura de um país, mas em Las Vegas passam a ser três a funcionar ao mesmo tempo”.
“Estes espaços temáticos dividem-se entre a cultura dos Estados Unidos, do Reino Unido e do Brasil, onde o festival nasceu em 1985. É uma forma de divulgar e valorizar mais estes povos”, salientou.
O Rock in Rio Las Vegas, prosseguiu, realiza-se devido a vários parceiros, entre os quais os quais está a MGM Resorts, empresa responsável pela construção da cidade, onde se realizam recebe os concertos em Maio.
“Além de nossos parceiros, desenvolvem e a constroem connosco, desde o primeiro dia, este projecto. A MGM é o maior player de Vegas. Tem 14 resorts e propriedades e experiência em levar o entretenimento àquela cidade norte-americana”, sublinhou.
As negociações com a MGM Resorts, referiu, começaram “há um ano e meio”.
Luís Justo prometeu ainda que até finais de Dezembro ou início de Janeiro estão concluídos os trabalhos de construção das infra-estruturas.
Além do Palco Mundo, onde actuam os cabeças de cartaz, do Palco Sunset e da “aranha” Electrónica, o Rock in Rio Las Vegas tem espaços idênticos, um deles dedicados à música indie.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA