Cultura

Festa da Música nos Coqueiros

Roque Silva |

Vinte e cinco artistas, entre nacionais e estrangeiros, aquecem, hoje, o Estádio dos Coqueiros, em Luanda, no primeiro de dois concertos da segunda edição do projecto “Festa da Música”.

Djodje participou no primeiro volume do projecto Team de Sonho lançado em 2013
Fotografia: Edições Novembro

O festival inicia às 14h00, após a abertura dos portões, para evitar enchentes e constrangimentos à entrada, com aulas de dança tradicional dirigidas pelo grupo Kussanguluka e danças modernas com As Africanas.
A dupla Djeff Afrozilla e BZB inauguram, às 15h00, os palcos “Unitel” e “Kison”. Os Dj apresentam uma selecção musical escolhida ao pormenor, para animar e “aquecer” o público que vai enfrentar a temperatura a rondar entre os 25 e os 20 graus centígrados previstos para hoje. A produção do concerto informou ao Jornal de Angola que os cantores começam a subir ao palco a partir das 18h00.
Bambila, Yola Araújo, Puto Português, Jay Oliver, Irina Vasconcelos, Landrick, Edmásia Mayembe, Anna Joyce e Yannick Afroman, Cage One, Cabo Snoop, Dji Tafinha, Preto Show, Titica, os grupos Zona 5, Projecto X, O Trio, MOB e Elenco de Luxo são as vozes angolanas confirmadas para o concerto de hoje. Cada artista realiza uma performance de 15 minutos, com o suporte de uma banda integrada por instrumentistas nacionais, com os quais têm ensaiado há duas semanas. A presença da banda brasileira Dream Team do Passinho vem contribuir para diversificar as propostas musicais que o festival oferece ao público.
Pela primeira vez em Angola, o quinteto de funk traz a Luanda temas do disco de estreia “Aperte o play”, editado pela Sony Music, e do single “Vida”, um dueto com Ricky Martin, líder de concursos radiofónicos e televisivos no mercado da música moderna na América Latina.
Além da diversidade musical, que passa pela evangélica, soul/r&b, gueto zouk, zouk, kizomba, semba, kuduro, afro house, rap e música alternativa, o festival apresenta um vasto programa que inclui ainda o humor e uma zona de diversão para crianças.
Kotingo é o mestre de cerimónia e aproveita o seu tempo para contar sátiras inspiradas no quotidiano angolano. A promoção da prática de actividades físicas é outra proposta trazida pelo festival, onde os jogos de várias modalidades têm o seu espaço “além de que o público vai ser instruído por um professor de educação física.”
O produtor do festival disse que vários espaços de lazer são montados em zonas específicas para permitir que todos se divirtam sem constrangimentos, sobretudo as crianças e idosos.
“Tudo está a ser preparado ao pormenor, para que seja uma tarde agradável e inesquecível para as famílias que se deslocarem ao Estádio dos Coqueiros”, fez saber Cayaya Júnior, que explicou que os artistas foram escolhidos com base na qualidade dos seus trabalhos e que os mesmos vão fazer uma demonstração do crescimento da música angolana no país e no exterior.
A Festa da Música visa promover a cultura angolana, motivo pelo qual faz um casamento entre a feita por angolanos e a divulgação das histórias e rituais de várias regiões e grupos étnicos, através da demonstração da dança contemporânea e moderna, referiu ao Jornal de Angola o director de Marketing da Unitel, empresa que realiza o festival com produção da Step, com uma equipa de 270 profissionais. Miguel Soares explicou, por outro lado, que o projecto, integrado na responsabilidade social da operadora de telefones, surge como oferta aos clientes fiéis de todas as faixas etárias. O espectáculo de amanhã tem os mesmos atractivos, mas os cantores confirmados são outros: Yola Semedo, Matias Damásio, Anselmo Ralph, Ary, Kyaku Kyadaff, Café Negro, Leo, Maya Zuda, B26, Damagical, TRX, Telma Lee, Nerú Americano, Zoca Zoca, Café Negro e o Dj Ritchelly.
As novidades são os músicos cabo-verdianos Johnny Ramos e Djodje.
Os bilhetes de acesso estão disponíveis em todas as lojas da operadora Unitel de Luanda, onde podem ser adquiridos na compra de cartões de recarga.
A produção disponibilizou 20 autocarros, de 150 lugares cada, com horários e rotas específicas para garantir o transporte das pessoas que residem em zonas distantes do centro da cidade, onde está localizado o recinto que vai albergar o festival, o Estádio dos Coqueiros.
Os autocarros partem das paragens principais de transportes colectivos, nomeadamente do Benfica; Golfe II; Mercado do São Paulo; Clínica Multiperfil (Morro Bento) e Largo das Escolas, a partir das 12h00 e do palco do festival(Estádio dos Coqueiros), no sentido inverso, a partir da uma hora da madrugada.

Cabo-verdiano Djodje actua com banda

Djodje é uma das atracções de amanhã, no Estádio dos Coqueiros, no segundo espectáculo da Festa da Música, no qual se apresenta pela primeira vez em Angola com a sua banda.
O cantor cabo-verdiano, uma das novidades do festival, traz um excerto da sua digressão, denominada “Like la ki nos é bom” apresentada este ano no Coliseu de Lisboa, em França e em Luxemburgo.
A actuação é repleta de músicos energéticos, como Ndu Carlos (bateria), Paulo Sérgio (teclas), Luciano Vasconcelos (baixo), Dodas Spences (guitarra) e Mário Marta (coros).
O cantor traz a Angola uma mão cheia de sucessos sobejamente conhecidos pela juventude angolana que aprecia músicas modernas, sobretudo os géneros gueto zouk e zouk. Os temas “Uma chance”, “Namora comigo” e “Bom vibe” são os mais esperados pelos seus seguidores.
O cantor e compositor classifica a sua performance  no espectáculo como especial, “porque vou-me apresentar num conceito diferente daquele que os angolanos estão habituados a ver.”
Em entrevista exclusiva ao Jornal de Angola, o artista Djodje disse que o público angolano vai conseguir perceber quem é musicalmente e que traz igualmente algumas novidades desconhecidas por muitos apreciadores do seu trabalho.
“Estudo a possibilidade de tocar bateria, um instrumento que executo com naturalidade”, referiu Djodje sem confirmar o acto.
Nas presenças anteriores do cantor em Angola, fez actuações em playback nos concertos de Pérola no Cine Atlântico, em Luanda, e em Benguela, por ocasião da apresentação do disco da angolana, intitulado “Mais de mim”, no qual produziu e compôs o tema “Masuké”.
Cabo Verde e Portugal são os próximos compromissos confirmados pelo artista, que quer levar a sua música a São Tomé e Príncipe e Moçambique, esse último país onde anseia actuar pela primeira vez ainda este ano.

 

 

Tempo

Multimédia