Cultura

Intérpretes dão vozes às canções vencedoras

Manuel Albano |

Apenas os temas vencedores das edições anteriores do Festival da Canção de Luanda concorrem este ano na 20.ª edição do concurso musical da Luanda Antena Comercial (LAC), cuja gala realiza-se no próximo dia 22, a partir das 21h00, no largo adjacente àquela estação emissora.

Músico Totó (à direita) vencedor da edição de 2015 é um dos concorrentes do festival
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Esta edição do festival vai saudar o 25.º aniversário de existência da LAC, a ser comemorado no próximo dia 25. A organização do festival tem direcção executiva de Carla Romero, artística de Cristina Miranda, de produção de Paulo Costa, da rapsódia de Maneco Vieira Dias e direcção musical de Nino Jazz.
Em declarações à imprensa, Paulo Costa disse que estão a produzir um festival com características intimistas por existir um público específico, que já acompanha os festivais ao longo dos 20 anos. A ideia é ter no parque de estacionamento da LAC perto de dois mil espectadores. O palco vai ser montado de maneira a que todos possam visualizar os artistas ao longo do espectáculo.
O lado cultural também vai ser privilegiado com a montagem de um espaço, onde os primeiros espectadores vão poder desfrutar de outros momentos culturais, com a participação de estilistas, artistas plásticos e gastrónomos, disse o director de produção. Paulo Costa afirmou que, nestes 25 anos da LAC e 20 do Festival da Canção de Luanda, tudo vai acontecer em função da “Onda Azul”, como um dos slogans da organização usado ao longo dos anos, criando de certa forma a sua própria marca e originalidade.
Duas décadas depois, de acordo com Paulo Costa, a organização tem-se esforçado muito para continuar a oferecer um produto de qualidade aos espectadores com edições do festival bem concebidas, fruto de muito trabalho e dedicação dos profissionais envolvidos, desde os directores musicais, artistas nacionais e internacionais, instrumentistas, actores, bailarinos, aos próprios concorrentes.
Paulo Costa disse que o festival vai ser realizado num espaço de três mil metros quadrados, mesmo no Largo da LAC, com um palco em “boca de cena”, com 15 metros de largura e 10 de profundidade. Uma banca com capacidade para 1.500 pessoas sentadas, com camarotes para os patrocinadores e expositores culturais, com gastronomia, vai ser, igualmente, montada no local da actividade.
O aparato sonoro está sob a responsabilidade da empresa “Lei Nunes”, supervisionado pelo Dj Danger, enquanto Maló Jaime é o responsável pela montagem do painel de Led, no qual vão ser projectadas várias imagens, por forma a permitir que os espectadores possam “viajar virtualmente”, acompanhando todos os momentos. A empresa “Aviluz” está com a responsabilidade de montar a iluminação ambiente e de palco.

"Em Setembro há uma festa"


O director da rapsódia, Maneco Vieira Dias, sem recorrer a grandes pormenores técnicos, disse que o musical “Em Setembro há uma festa”, conta com a sonoridade do tema do grupo Kimbamba, vencedor da primeira edição do Festival da Canção de Luanda, em 1998. Foram, igualmente, apresentados trechos da rapsódia a ser exibida no dia 22 deste mês, no largo da LAC.
A directora executiva, Carla Romero, prestou alguns esclarecimentos quanto às edições já realizadas, tendo dito que já foram produzidas 19 edições do Festival da Canção de Luanda. Para este ano, apenas 13 concorrentes participam no concurso musical da LAC.

Tempo

Multimédia