José Fontes Pereira foi ontem a enterrar

Mário Cohen |
29 de Junho, 2014

Fotografia: Paulino Damião

Os restos mortais do músico José Oliveira de Fontes Pereira, mais conhecido como “Malé Malamba”, repousam desde ontem no Cemitério do Alto das Cruzes, em Luanda.

O funeral foi marcado pela presença da ministra da Cultura, Rosa e Cruz Silva, o presidente da bancada parlamentar do MPLA, Virgílio de Fontes Pereira, o director provincial da Cultura, Manuel Sebastião, e o director nacional da Acção Cultural, Vieira Lopes, assim como de padres e músicos.
O músico foi lembrado como um grande devoto, que ajudou muitos fiéis da Igreja de São Domingos. No elogio fúnebre, lido por Dionísio Rocha, de acordo com a vontade expressa por Malé Malamba antes de morrer, foi ainda recordado como o inspirador de músicos como Sabu Guimarães e Carlos Burity. “Na casa do ‘Malé Malamba’, como era chamado, passaram célebres figuras da canção angolana, como Patrícia Faria, José Maria Boyote e Dog Murras”, destacou.
Para o deputado João Pinto, o país perdeu uma das grandes figuras da cultura nacional, descendente de uma família onde foi sempre conservada a tradição musical angolana.
Compositor, guitarrista, bailarino, coreógrafo e figura emblemática do grupo de teatro Ngongo, José Oliveira Fontes Pereira foi o fundador da primeira Escola de Semba. Através da música, dança e do teatro, protestou contra o regime colonial-fascista de Salazar. José Oliveira de Fontes Pereira morreu aos 75 anos e deixa viúva, sete filhos, dez netos e um bisneto. Entre os seus feitos constam a criação da Escola do Semba, do Fogo Negro, do Ngongo e da Henda ya Xala.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA