Massano Júnior em defesa do semba

Roque Silva|
15 de Janeiro, 2015

Fotografia: Angop

Massano Júnior é o músico de cartaz da primeira edição deste ano do programa “Em Defesa do Semba”, que se realiza domingo, às 12h00, no Centro Cultural Muximangola, na Camama.

Num concerto que se espera repleto de “velhas guardas” da música angolana, como Carlos Lamartine, Kipuka e outros amigos do artista, Massano Júnior faz a “festa”com o suporte instrumental dos Kiezos e da Banda Yetu.
Massano Júnior tem um repertóriode temas da sua autoria, reunidos ao longo dos seus mais de 40 anos de carreira. Entre eles, os mais referenciados são da altura em que foi a voz principal do grupo “África Show”, grupo que fundou em 1968, depois de sair do “Negoleiros do Ritmo”.
Integrados no disco “Memória do África Show”, as canções “Kizuapekalalelo”, “SungaSunga”, “Inspiração de Nito”, “Noite de harmonia”, “Semba da Ilha”, “Mãe Etu”, “Minga”, “As Meninas de Hoje”, “Aiué Mamã”, “Muxima waTeté”, “Merengue Bomba”,“Merengue Laboreiro Alfaiate”, “Toyota”, “Merengue LaTambora”, “Meninas de Hoje” e “Bússola” são algumas das canções mais famosas, que interpretou com outras vozes. Massano Júnior pertenceu a turma dos “Vagabundos” e foi um dos fundadores do grupo musical “Os Malambas”, em 1963, com Kipuka (voz), Dadinho (guitarra solo), Santana (dikanza) e Massangano (viola ritmo). Mais tarde, este grupo passou a designar-se “Kipuka e seus Malambas”.
Do resultado da amizade com os cantores Carlos Lamartine e Santos Júnior, Massano Júnior começou a participar nos ensaios e tertúlias musicais. Em 1966, com 18 anos, integrou o conjunto “Negoleiros do Ritmo”, do qual faziam parte Dionísio Rocha, Nando Cunha, Jajão e Joãozinho Morgado.
Fundou o conjunto “África Show”,por onde passaram Zé Keno, Belmiro Carlos, Carlitos Vieira Dias, Didinho, Raul Tolingas, Vininho, Tinito, Cestinho Weba, Tony Galvão, Teta Lando e Belita Palma. O grupo acompanhou os artistas Zé Viola, Urbano de Castro, Óscar Neves, António dos Santos, Quim dos Santos e Elias dya Kimuezo. Em 1969, Massano Júnior gravou o primeiro “single”, um vinil que incluiu as canções “Mariana da Mbimbe” e “Minga” – clássico que narra uma história de uma mulher com a qual teve uma relação.
Em 1972, Massano foi convidado pelo “Duo Ouro Negro” a integrar o espectáculo “Blackground”, com quem fez uma digressão por Angola e Moçambique, e foi figura principal de uma demonstração de tambores. Massano Júnior passou também pelo agrupamento “Instrumental 1º de Maio”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA