Mulheres produzem música sacra

Leonor Mabiala | Cabinda
2 de Fevereiro, 2016

Fotografia: António Soares

O secretário provincial da Cultura em Cabinda, Euclides Barros da Lomba, manifestou-se, ontem, satisfeito com a qualidade das obras discográficas em estilo gospel produzidas nos últimos meses pela nova geração da província.

Euclides da Lomba afirmou  que os novos intérpretes de música gospel, em Cabinda, na sua maioria mulheres apresentam trabalho com qualidade aceitável, tendo reconhecido haver pouco contribuição do sector que dirige para a divulgação das músicas.
O secretário provincial da Cultura em Cabinda reconheceu que as cantoras estão à altura de competir com outros artistas mais conhecidos, como irmã Sofia, Bambila, Guy Destino, Dodó Miranda, entre outros que elegeram o estilo gospel.
Euclides da Lomba salientou que a evolução da música sacra é visível tendo em conta a realização constante de festivais e concursos de gospel, a semelhança do que aconteceu recentemente na cidade de Cabinda, que acolheu um festival cuja participação feminina foi mais significativa.
“As letras são escritas em kikongo e fiote, as línguas nacionais faladas em Cabinda, facto que nos orgulha e facilita a compreensão das músicas”, disse o secretário provincial da Cultura em Cabinda, que também trilha uma carreira musical.
Prometeu ajudar a divulgar estes feitos fora da província, por que no seu entender são iniciativas que concorrem num único propósito, “a divulgação e preservação dos hábitos e costumes da província de Cabinda”.
A falta de dinheiro que alguns músicos alegam para a promoção de seus trabalhos quer no país, quer no exterior, é uma questão que está relacionada com a falta de criatividade dos próprios músicos, no entender de Euclides da Lomba.
Em termos de infra-estruturas para realização de espectáculos e outras actividades, disse que a província está bem servida, como exemplo citou o Centro Cultural Chiloango, que beneficiou de obras de reabilitação. “Trata-se de uma estrutura multidisciplinar colocada à disposição dos artistas para acolher eventos, tais como exibição de filmes, peças de teatro e espectáculos musicais”.
O secretário provincial da Cultura em Cabinda aconselhou os agentes culturais e artistas no sentido de valorizarem esse espaço, que o Governo coloca à disposição dos mesmos, por formas a desenvolver as suas tarefas com dignidade, e lamentou o facto de alguns músicos fazerem as vendas dos seus discos em locais impróprios, ao invés de o fazerem no Centro Chiloango. “Se os músicos ignoram as condições criadas para desenvolverem as suas acções, desconhecemos o que devemos fazer como ponto de partida”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA