Músico lamenta ausência de figuras ligadas a cultura


4 de Setembro, 2014

Fotografia: Ja imagens

O músico Carlos Burity lamentou a ausência de alguns esteios da cultura angolana, com predominância para os músicos, na II Edição do Festival Nacional da Cultura (FENACULT), a maioria dos quais por já não fazerem parte do mundo dos vivos.

Em entrevista à Angop, por ocasião da abertura desta manifestação cultural, que vai decorrer até ao dia 20 de Setembro, Carlos Burity considerou difícil festejar o evento sem os principais impulsionadores da cultura angolana, em particular os seus amigos que fizeram parte da primeira edição do Festival Nacional da Cultura (1989).
Neste particular, o autor de “Malalanza” recordou com tristeza as ausências de Lurdes Van-Dúnem, Beto Gourgel, Mamukueno, Zecax, Mamborró, Raul Endipu, Teta Lando, Mendes de Carvalho, Tchissica Artz e Gabriela Antunes. Ao longo de 25 anos, a cultura angolana perdeu ainda Amizade, Máquina do Inferno, entre outros.
“É de facto com muita tristeza que me recordo do primeiro FENACULT que o país realizou em 1989. Estive presente na Cidadela Desportiva com muitos destes artistas que citei. Foram momentos únicos que dificilmente se apagam da minha memória. São pessoas que muito fizeram para o engrandecimento da cultura nacional”, frisou o músico Carlos Burity.
A segunda edição do Festival Nacional da Cultura (FENACULT) afigura-se como ponto de promoção da coesão, unidade e da diversidade cultural de Angola, assim como da preservação, promoção e divulgação da identidade nacional. De igual modo, de baluarte da carreira dos criadores angolanos.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA