Cultura

Muzongué da Tradição saúda voz dos “Jovitos”

Analtino Santos

Num dia em que o país chorava a morte de Chico Montenegro, membro fundador de Os Jovens do Prenda, os músicos convidados para mais uma edição do projecto Muzongué da Tradição aproveitaram o momento para homenagear o contributo deste para a cultura.

Fotografia: DR

Bessa Teixeira, António Paulino, Margareth do Rosário, Calabeto e Augusto Chacaya foram os artistas convidados. Os Jovens do Prenda não actuaram em respeito à memória de Chico Montenegro. Augusto Chacaya ficou encarregado de interpretar os temas dos “Jovitos”.

A Banda Movimento foi a primeira a subir, no domingo, no palco do Centro Recreativo e Cultural Kilamba, e começou com uma rapsódia em homenagem a Chico Montenegro, com Massoxi a interpretar sucessos como “Lamento de um Filho”, “Teté”, “Gienda jia Luanda” e “Bolero Jovem”.
O último artista a subir ao palco foi o colega, amigo e compadre de Chico Montenegro, Augusto Chacaya, que também homenageou o malogrado com temas da autoria deste, assim como de outros colegas de Os Jovens do Prenda, dentre os quais Zé Keno e Zecax. Do Huambo para o Centro Kilamba, Bessa Teixeira, que levou, para um recinto onde predominam os ritmos como o semba, outros oriundos das regiões do Sul do país. “Polobotão”, como não poderia deixar de ser, foi um dos temas interpretados.
Esta edição do Muzongué contou ainda com nomes como Margareth do Rosário, a única voz feminina do cartaz, que interpretou êxitos de Belita Palma e temas próprios. Os outros dois convidados foram António Paulino e Calabeto.

Tempo

Multimédia