Nick sepultado em Sant'Ana

Mário Cohen |
22 de Janeiro, 2015

Fotografia: Kindala Manuel

Familiares, músicos e amigos de Manuel Constantino ''Nick'' prestaram  ontem a última homenagem ao artista, falecido sexta-feira por doença, antes do caixão descer à sepultura no cemitério da Sant’Ana, em Luanda.

O momento esteve carregado de dor e tristeza. As lágrimas correram no rosto de centenas de pessoas. O vice-presidente da União Nacional dos Artistas e Compositores (UNAC), Massano Júnior, no elogio fúnebre, disse que Angola está de luto por perder um músico e compositor que actuou em vários espectáculos em Portugal, Suíça, França, Brasil, Argélia, Congo Brazzaville, África do Sul e Zimbabwe, tendo dignificado a cultura nacional.
Massano Júnior disse ainda que Nick foi um artista que apostou em trazer a modernidade para a música nacional. Acrescentou que o estilo de música que Nick cultivou “é uma matriz que deve continuar no nosso panorama musical por reflectir os ritmos dos nossos ancestrais”.
Para ele, o autor de “Avô Kumbi” foi um grande pilar e impulsionador da cultura nacional, tendo registado o seu nome na história musical do país. Acrescentou que Nick fez da canção uma arma de combate e exaltação de patriotismo como unidade nacional em prol de desenvolvendo da cultura.
Numa mensagem de condolências enviada à nossa Redacção,  o governador de Luanda, Graciona Domingos, escreve que a morte de Nick deixa a cultura mais pobre, particularmente a luandense, que perde um dos mais representativos cantores da língua kimbundo.
 “Nick enriqueceu  a cultura musical angolana com a sua forma peculiar de actuar e de estar nos palcos, desfilando estilos que carregam a simbiose do tradicional e do moderno”, lê-se na mensagem.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA