Orquestra censura peça com um célebre hino nazi


14 de Março, 2015

Fotografia: reuters

A direcção da Nova Iorque Youth Symphony (NYYS) cancelou a antestreia de uma peça de um jovem compositor no prestigiado Carnegie Hall, em Manhattan, que ten um excerto de um célebre hino nazi.

O concerto da orquestra nova-iorquina, que apoia os compositores e instrumentistas com menos de 22 anos, estava previsto para domingo e destinava-se a chamar a atenção para a obra de Jonas Tarm, 21 anos, norte-americano de origem estónia.
“Uma referência musical como esta exigia uma discussão prolongada”, anunciou a direcção da orquestra em comunicado, que salienta não pretender insinuar que Jonas Tarm defende a ideologia nazi.
O compositor avisou na semana passada a NYYS que a peça tinha um excerto de 45 segundos da “Horst-Wessel-Lied”, dos principais hinos nazis, banido na Alemanha e na Áustria após a II Guerra Mundial.
Intitulada “Marsh u Nebuttya” - “Marcha para o Esquecimento” - , a composição inclui também o antigo hino da Ucrânia soviética e parece querer evocar o actual conflito russo-ucraniano, mas Jonas Tarm garante que a sinfonia, que dura nove minutos, é “dedicada às vítimas da crueldade e do ódio, da guerra e do totalitarismo”.
O compositor afirma num comunicado que a peça “é uma homenagem às vítimas da fome e do fogo” inspirada por um poema de T. S. Eliot, “Hollow Men”, escrito após a I Guerra Mundial e publicado em 1925.
O compositor Jonas Tram diz-se “decepcionado e confuso” pela rejeição de uma obra  de arte que “devia evocar e não provocar as pessoas”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA