Cultura

Paulo Flores já em Luanda para cantar no Show do Mês

Honorato Silva

A celebrar os seus 30 anos de carreira artística, Paulo Flores está desde ontem em Luanda, para preparar a estreia no projecto Show do Mês, da produtora de eventos Nova Energia, como o cartaz da segunda estação da quinta temporada, nos dias 30 e 31 de Março, no Royal Plaza Hotel, em Talatona.

Cantor sente a pulsação dos fãs e admiradores antes das duas noites de concerto
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

No calor do frenesim criado pela procura dos bilhetes, por fãs ávidos de ver ao vivo a actuação do autor de sucessos já imortalizados na música angolana, o compositor e intérprete juntou a “tropa sem farda”, como denomina os instrumentistas que dão suporte artístico aos seus espectáculos, e começou a ensaiar para as duas noites a serem preenchidas por memórias das três décadas vividas de forma intensa, numa cumplicidade criada pelo povo.
“Kandongueiro Voador”, o seu mais recente trabalho de originais, serve de convite para a viagem pelas sonoridades propostas por Paulo Flores, estrela forjada de berço, dada a conhecer na “Kizomba”, antes da afirmação no “Semba”, que deu lugar a uma emancipação artística, com passagens ousadas por géneros reconhecidos a nível mundial, como o “Jazz”, a “Bossa Nova” e a “Morna”.
No “Semba da Bênção e da Consolação”, Paulo Flores traz o solista Teddy Nsingui, “bakongo da nguimbi/mais velho/irmão/viajante em solos de guitarra”, antes de dar voz a Walter Ananás, em “Não dá para Cantar”: “a história que venho contar/amigo Vavá/é do nosso mano kwanza/e o seu amigo dolar/que hoje parece kunanga/ta difícil encontrar...”
Manecas Costa, ícone da música da Guiné Bissau, empresta a magia da sua guitarra. Do seu reportório, “Chama-me Menino” é um tema a ser visitado, num show intimista há muito aguardado pelos seguidores do projecto cultural da Nova Energia.
“Baju”, sucesso nas pistas de dança desde o lançamento há três anos, é das músicas mais pedidas pelos fãs e admiradores do cantor, na  interacção promovida pelos organizadores do evento, nas redes sociais. “Dinheiro não Chega”, “Carta”, “Mana Chiquita”, “Makalakato”, “Inocenti”, “O Povo” e “Minha Velha” engrossam a lista de “discos pedidos”.
A romaria pelos locais de venda de bilhetes, bem como as solicitações por chamadas telefónicas e mensagens no facebook levam a equipa coordenada por Yuri Simão a ponderar a possibilidade de realização de um show de antecipação, quinta-feira, 29 de Março.
Os apreciadores da música de Paulo Flores aguardam por um concerto de celebração dos 30 anos de carreira, à semelhança das duas décadas, comemoradas em 2008, com um mega espectáculo no Estádio Municipal dos Coqueiros.

Agenda de estrelas
A quinta temporada do Show do Mês, aberta nos dias 2 e 3 do corrente, com a homenagem a Elias dya Kimuezo, “Rei da Música Angolana”, tem uma agenda recheada de estrelas, com destaque para Barceló de Carvalho “Bonga”, Waldemar Bastos, Mito Gaspar e Matias Damásio.
Distinguido duas vezes no “Top Rádio Luanda”, pelo sucesso dos espectáculos “Eduardo Paim 40 anos” e “Jovens do Prenda”, a Nova Energia aposta na contratação de “monstros sagrados”, que já mereceram a aprovação dos seguidores do projecto.
Proletário, outra referência da música angolana, tem sido pedido pelo público que interage com os organizadores, como proposta para uma das estações. O silêncio tem sido a resposta da Nova Energia, que, em 2016, viu nascer o Movimento REGRESSA DA LOMBA, a pedir um conserto extra do músico de Cabinda.

Tempo

Multimédia