''Ponte Cultural'' na Ilha do Cabo

Francisco Pedro |
29 de Novembro, 2014

Fotografia: Paulino Damião

Um espectáculo musical com Sandra Cordeiro, Bruno M, o percussionista brasileiro Joca Pergignan e o israelita Ravid Kahalani realiza-se hoje, às 21h00, no Miami Beach, em Luanda.

O espectáculo tem entrada livre e é parte da quinta edição do projecto Ponte Cultural, organizado pela Fundação Arte e Cultura, cujos trabalhos começaram na quarta-feira, com a gravação de vários temas em diferentes géneros musicais, nos estúdios da Casa da Música.
Segundo Ana Beatriz, da Fundação Arte e Cultura, a Ponte Cultural é um projecto mais vocacionado ao intercâmbio musical, entre artistas angolanos e estrangeiros, e engloba várias acções no domínio da produção musical, tais como gravação em estúdio, edição discográfica e a realização de um espectáculo.
O projecto permite estreitar o intercâmbio de artistas angolanos com os de outros países. A próxima edição conta com a participação de artistas indianos. Uma das inovações deste ano é a mudança do espaço do espectáculo, que antes era realizado na Casa da Música, no Benfica. “É um novo conceito, ‘pop-up’, baseado na alternância do espaço.”
Para Ana Beatriz, a Ponte Cultural é um projecto benéfico às artes, “cujos resultados já são visíveis, através dos convites feitos aos artistas angolanos para participar em espectáculos e gravações fora do país. É a oportunidade ideal para exportar a música angolana ao mundo”. A Casa da Música tem dado suporte técnico para os artistas recriarem as suas composições, com o apoio de músicos de outros países. “Queremos que os músicos angolanos criem novos produtos.”
Em relação ao tempo de intercâmbio que os artistas reclamem ser curto, Ana Beatriz disse que tudo se deve à agenda dos artistas estrangeiros, obtenção do visto e condições logísticas, “o que limita o tempo de trabalho deste para uma semana”, adiantando que em breve tudo pode mudar.

Convidados para o concerto

O músico brasileiro Joca Pergignan actuou como percussionista em vários países do mundo, como Espanha, Portugal, Croácia, Itália, Cabo Verde e Austrália, e dividiu o palco com vários artistas internacionais, como Paquito D’Rivera, Victor Mendoza, Armandinho, Maucha Adnet, Ron Reed e Luciana Souza.
O artista actuou em vários espaços e festivais de jazz internacional, como o Red Sea Jazz Festival (Israel/2003), St. Petersburg Jazz Festival (Russia/2004) e Lapataia Jazz Festival (Uruguai/2005).
Como professor, Joca Pergignan leccionou e conduziu seminários em instituições como o Conservatório Souza Lima, em São Paulo, o de Música Contemporânea, em Santiago, Chile, o Boston Music Community Center, nos Estados Unidos, e o Drum’n Beat Festival, em Israel.
O israelita Ravid Kahalani tornou-se uma estrela importante na cena musical israelita ao longo dos últimos anos.
Atraído pelos blues e canções religiosas tradicionais, começou a dedicar-se à música do Sara e África do Norte.
Mais tarde, tornou-se vocalista do projecto “World Music” e teve mais de 400 espectáculos por todo o mundo nos últimos cinco anos. Em 2010, criou a “Yemen Blues”, uma banda rara, composta por músicos de renome mundial.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA