Cultura

Showman Yuri da Cunha em apoteose no Kilamba

Um espectáculo, com diversos tipos de estilos musicais, entre Kizomba, sungura, kabetula, semba e rumba, marcou o encerramento anual do Muzongué da Tradição, com o cabeça de cartaz o cantor Yuri da Cunha, a mostrar que se destaca pela sua verticalidade rítmica e maneira de “aquecer a plateia”, que não parou de acompanhar o artista.

Autor de
Fotografia: Santos Pedro|Edições Novembro

O Centro Recreativo e Cultural Kilamba foi pequeno para as mais de trezentas pessoas que foram vibrar e apreciar um elenco de cantores do melhor da “praça” musical.
O Muzongué começou “aquecer” quando subiu ao palco a banda Movimento que tirou alguns temas e acompanhou os artistas Suzanito que recordou o artista Nick (Avó Kumbi), Robertinho que cantou temas como “Ka­kiento”, “Joana”, “Kiowa”, entre outros, que levou a pista vários “passistas”.
A Banda Movimento acompanhou ainda o veterano Dom Caetano, que mostrou que quem sabe já mais esquece, tirou da “cartola” os temas “Diala dya hongo”, “Sou angolano”, “Tussokana kian”, tendo fechado a sua apresentação com o sucesso do momento “Vizinha”, (música original dos Irmãos Almeida).
Convidado do artista Yuri da Cunha, o santomense João Seria, considerado o general da música de São Tomé e Príncipe, brindou a plateia com temas que muito sucesso fizeram nas pistas de Angola, no estilo kabetula como “Alice”, “Carambola”, “Maie-maie”, “Aninha”, entre outros.
Bem acompanhado pela banda de Yuri da Cunha, João Seria puxou dos galões e reviveu com os angolanos sucessos que marcaram a década dourada do grupo África Negra, considerado como os embaixadores de São Tomé.
Mas o Muzongué estava reservado para o showman, Yuri da Cunha, que entrou de forma triunfante com uma mistura de músicas do cancioneiro popular, fazendo delirar a plateia que não arredava pé da pista.
Com os temas “14 chuvas”, “Zig zig”, “Sabichona”, “Katela njila, “Jota” e “Gago”, o artista, sem desacelerar, convidando os “amantes” da cultura nacional a mostrarem os seus dotes de excelentes bailarinos, apreciadores do kizomba e semba, a “rasgarem” o chão do Kilamba.
Ao terminar a sua apresentação e a fechar o ano cultural no Centro Cultural KIlamba, Yuri da Cunha convidou para o palco o artista Dj Mania com  quem fez dueto nas músicas “Médica maluca” e “Dança da bexiga”.
O showman encerrou o evento com os temas “Ngapa” e “Morainha, dos Irmãos Almeida, “Ramiro” (Jivago) e uma rapsódia de músicas do cantor e compositor Barceló de Carvalho “Bonga”.

Tempo

Multimédia