Trienal mostra sétima arte

Francisco Pedro |
5 de Março, 2016

Fotografia: Paulimo Damião

O documentário cinematográfico “I Love Kuduro”, de Mário Patrocínio, com Nagrelha, Titica, Cabo Snoop, Francis Boy e Tony Amado, é exibido hoje às 2Oh00, no Palácio de Ferro, no âmbito da programação da III Trienal de Luanda.

O filme, cujo guião é de Coréon Dú e  no qual também participam os kuduristas Sebem, Hochi Fu, Prince Black Gold, President Gasoline, Sarissari, Tchoboli, reúne depoimentos de alguns dos precursores do ku duro.
“I Love Kuduro” junta depoimentos de artistas precursores do ritmo, que falam sobre suas relações com o kuduro e a importância do género para  as suas vidas e para a cultura popular angolana como um todo.
Antes da exibição do filme, com mais de hora e meia de duração, são lidos trechos do livro “Cartas de Amílcar Cabral a Maria Helena: a Outra Face do Homem”, da pela historiadora Iva Cabral, primogénita de Amílcar Cabral, apresentado na semana passada, em Luanda, no Memorial António Agostinho Neto.
O programa de hoje à noite inclui, a partir das 22h00, o segundo concerto de Anabela Aya, que se prolonga por duas horas. “Tchipalepa”, de André Mingas , “Kizua kinguifua”, “Belina” e “Tia”, de Artur Nunes, “Malaika”, de Miriam Makeba, “I’monmywy”, Mahalia Jackson, “Famillle”, Lokua Kanza,  “Redemptionsong”, de Bob Marley, são algumas das canções que a artista apresenta .
O nome de  Anabela Aya acresce à lista das jovens cantoras angolanas que primam pelo afrojazz, como Afrikanita, Sandra Cordeiro e Irina Vasconcelos.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA