Vozes de Março brilham no palco do Royal Plaza

Honorato Silva |
28 de Março, 2017

Fotografia: Paulino Damião | Edições Novembro

Vozes de Março, sexta-feira e sábado no Royal Plaza Hotel, em Talatona, é a proposta da Nova Energia para a segunda estação da quarta temporada do conceito de espectáculos Show do Mês, aberta a 3 e 4 do corrente mês, com Aline Frazão.

No espírito da celebração do mês dedicado à mulher, um quinteto de vozes femininas assume a batuta nas duas noites de pura cumplicidade entre músicos e público apreciador de arte, que pela intimidade chega a indicar propostas de espectáculo à organização.
Selda, a primeira cabeça de cartaz de Show do Mês, no surgimento do projecto em Janeiro de 2014, volta a pisar um palco que ajudou a compor com convidativo “Morena de Cá”, 2012, obra de estreia no mercado discográfico.
Lípsia, Alexandra (Banda FM de Benguela), Jacira e a cubana Ana Yadira Cabañas completam o leque de vozes escolhidas para fechar o mês de Março em grande estilo, numa viagem por sonoridades que marcam o percurso artístico de várias cantoras, que se notabilizaram música mundial e inspiraram as novas gerações.
O quinteto vai levar à apreciação do público clássicos da música angolana e internacional. No registo de pontualidade da Nova Energia - cortinas descerradas às 21h00 - a sala do Royal Plaza Hotel volta a encher-se para momentos de ebulição cultural. Distinguidas pela versatilidade artística, as Vozes de Março vão andar por Angola, Cabo Verde, Brasil e Portugal, com particular realce para a homenagem às Antilhas Francesas (Guadalupe e Martinica), cujas músicas são muito apreciadas no país. A dupla Claudette et Ti Pierre, Jocelyne Beroard e Tania Sant Val têm os repertórios mais visitados por intérpretes empenhados em explorar as sonoridades das ilhas do Mar das Caribe. A música latina faz igualmente parte do alinhamento, com a peruana Tania Libertad entre os destaques. Yadira Cabañas propõe uma viagem que traz em primeira classe Gloria Estefan, a cubana radicada nos Estados Unidos, dona de um sucesso  suportado pela venda de mais de cem milhões de discos no mundo.
“A ideia é viajar pelo universo feminino. Juntámos nomes não tão visíveis, excepção da Selda, dando oportunidade a novos talentos. Teremos muitas surpresas, que quem for aos shows vai certamente gostar e guardar na memória”, explicou Yuri Simão, da produção do espectáculo.

Show Piô na forja

A quarta edição do Show Piô, o regresso às músicas infantis que marcaram as primeiras duas décadas de Angola como país independente, já está na forja.
Depois do sucesso atingido nas duas passagens pelo Centro de Conferências de Belas no Futungo II, com lotações apenas aproximadas pela festa dos 40 anos de carreira de Eduardo Paim, a Nova Energia tem em marcha os preparativos de mais um número do show que transforma adultos em crianças.
Guiada pela exigência de qualidade que tem marcado a sua presença no mercado, a promotora de espectáculos  trabalha na selecção dos músicos (intérpretes e instrumentistas), bem como na escolha da data para a realização do show, que além de revisitar o melhor da canção infantil angolana, com várias homenagens póstumas, casos de Mamborrô, João Assunção e José Ernesto “Baíca”, reinventa estrelas preservadas pela memória colectiva dos “meninos da Independência”, nomeadamente Ângelo Ramos , Joseca, Alberto de Matos, Lucas de Brito e Faustino Segunda.
O Show Piô tem sido uma verdadeira viagem nostálgica de crianças de ontem, hoje adultos, que num misto de alegria e de tristeza deixam rolar nos rostos lágrimas pelas memórias de tempos que para trás ficaram. Em muitos casos, regista-se mesmo situação de choro compulsivo. Os bilhetes começam a ser vendidos em Abril, a 15 mil kwanzas.             
A Nova Energia tem sido desafiada a levar o Show Piô ao Estádio Municipal dos Coqueiros, para que as crianças de ontem, que viveram os sucessos na altura, possam levar os seus filhos: “É preciso mostrar aos meninos as coisas boas que vivemos no passado”, disse Yuri Simão.  

capa do dia

Get Adobe Flash player



ARTIGOS

MULTIMÉDIA