Música e teatro no dia da criança

Roque Silva |
16 de Junho, 2015

Fotografia: AFP

O Dia da Criança Africana foi comemorado, ontem, na Casa de Cultura Malta da Paz e da Alegria, com espectáculos de música, dança e teatro, que envolveram cerca de 300 crianças do bairro de Benfica, em Luanda.

As crianças dançaram os estilos semba, kuduro e kazucuta , com reportório do disco “Cantando com a Malta da Paz e da Alegria”, álbum lançado em Maio, pelo projecto Malta da Paz e Alegria.
Além dos espectáculos, foi lançado o livro “O Nascimento da Malta da Paz e da Alegria”, cujos temas didácticos apelam ao acesso das crianças à educação, saúde, preservação do ambiente  e ao lazer.
O livro  conta a história da formação do projecto Malta da Paz e da Alegria e as suas áreas de intervenção, cultura e educação, bem como a promoção dos direitos da criança.
As personagens Palanca Negra, Tamara, Ginga, Bangão, Avô José, Estela, Pimba, Joana, Dudu, Turbão e a Estrela, asseguram as músicas e as peças de teatro, envolvendo também crianças convidadas.
Os espectáculos, que decorreram durante todo o dia, foram testemunhados por professores de arte, escritores, dançarinos e actores, bem como membros do Executivo.
A secretária de Estado da Educação para o Ensino Geral e Acção Social, Ana Paula Inês considerou importante a iniciativa porque permitiu às crianças conviverem de forma espontânea e terem contacto com diferentes expressões artísticas, “cuja linguagem agradou a todos os presentes”.
O escritor John Bela, director da Casa de Cultura Malta da Paz e da Alegria, informou que a finalidade do convívio foi  promover a instrução infantil através da arte, dando atenção especial às crianças com momentos de alegria. O escritor e poeta considerou que os livros infanto-juvenis têm “conteúdos para ajudar” a evolução das crianças. O músico Gaspar Agostinho Neto considerou benéfico o projecto e que o mesmo contribui para o crescimento intelectual das crianças.
O projecto Malta Da Paz e da Alegria tem como base a promoção artística e a divulgação da cultura angolana. Foi criado há dez anos, por Cláudio Holanda, no âmbito da responsabilidade social e acções de ajuda às comunidades do bairro de Benfica.
Desenvolve  actividades musicais, de teatro, dança, oficinas de pintura, escultura, marionetes e animação de palhaços, com a colaboração de educadores primários.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA