Cultura

Música electrónica junta vários artistas na Baixa de Luanda

Roque Silva

A rua dos Mercadores, na Baixa de Luanda, recebe, hoje à noite, um festival de música electrónica, sendo cabeça de cartaz o DJ Suraj Mandavia, de nacionalidade queniana.

Fotografia: DR

O português Khalil Suleman e os angolanos Ricardo Alves, Monotronik, a dupla Górdio e Prim Otas, também, fazem  parte da lista do festival, uma iniciativa da produtora Blur Records.
Segundo o promotor, Frederico Lourenço, o espectáculo tem a duração de oito horas, entre às 23h00 e às 6h00, com sonoridades dos estilos “techno”, “house music”, “trance”, “drum and bass” e “rock and roll”.
Em vésperas de comemorar 10 anos de carreira, a 4 de Novembro, com um concerto em Nairobi, sua terra natal, o queniano Suraj apresenta, pela primeira vez em Angola, ritmos de música electrónica contemporânea, cuja base de criação assenta em elementos culturais tradicionais.
As produções fundem elementos étnicos com sons modernos, em que combina harmonia de ritmos dançantes com paisagens sonoras, instrumentos e vocais africanos. Depois da estreia em Nairobi, Suraj destaca-se como DJ, produtor dinâmico e pioneiro na África Oriental, com uma lista invejável de produções e “sets”, o que faz dele um dos marcos na indústria emergente de música electrónica no continente.
A música e a performance apresentadas ao vivo tornaram-se muito solicitadas pelos apreciadores da música electrónica e outros DJ. Tem músicas editadas em produtoras reconhecidas a nível de África, entre as quais a “Red Bull Music Studios”, o que fez com que o seu talento e personalidade sejam apreciados por muitos admiradores em todo o mundo.
Do seu percurso, tem mais de 100 festivais internacionais, a destacar o “Bayimba International Festival”, no Uganda, além de outros na Europa, América, Ásia e Oceânia.

Tempo

Multimédia