Cultura

Músico Matias Damásio apela à união da classe

Amilda Tibéria

O cantor Matias Damásio lamentou, na quarta-feira à noite, em Luanda, a falta de união em alguns círculos de músicos  nacionais,  por prejudicar o crescimento da música angolana na generalidade.

Matias Damásio afirma que a Arca Velha vai continuar a investir nos artistas nacionais
Fotografia: José Cola | Edições Novembro

O músico, que manifestou a sua insatisfação durante uma conferência de imprensa, realizada no Epic Sana, de apresentação dos novos membros da produtora Arca Velha nomeadamente: Dom Caetano, Isidora Campos, Serafina Sanches, Damásio Brothers, Kanda e Halison Paixão, disse ser importante “a mudança de consciência se quisermos conquistar outros mercados”.
Matias Damásio realçou que a sua produtora vai continuar a investir nos artistas nacionais, de maneira a dar oportunidades de outros músicos poderem mostrar o seu potencial artístico, quer no país quer no estrangeiro.
Para aumentar a produção musical, disse o autor de “Amor e Festa na Lixeira”, que está prevista para Maio a abertura de um estúdio, para reforçar o intercâmbio entre os productores musicais no país.
O  responsável da produtora  Arca Velha adiantou que no dia 28 de Abril vai ser lançado o novo disco de Dom Caetano intitulado “Esperança Divina”, numa sessão de venda e assinatura de autógrafos a ser realizados na Praça da Independência, cuja parte das receitas vão ser doadas às famílias dos falecidos músicos Zé Keno e Beto de Almeida.
“Esperança Divina” é um disco que comporta 11 temas musicais com predominância do rumba, bolero, semba  e rebita  interpretados nas línguas  português e quimbundo.
No mesmo dia do lançamento do disco vai ser realizada uma gala cujas receitas a serem angariadas também devem ser canalizadas aos familiares de músicos com algumas dificuldades financeiras e outros já falecidos. Embora ter reconhecido que o gesto não vai resolver o problema, Dom Caetano explicou ser uma forma de poder render uma homenagem aos artistas  Zé Keno e Beto de Almeida com quem teve a possibilidade de partilhar alguns momentos dentro e fora dos palcos.
A produtora Arca Velha surge em substituição da MD Produções, que estava mais voltada às produções de Matias Damásio. Com a nova designação, o projecto tornou-se mais alargado e abrangente, dando espaço aos trabalhos de outros músicos. A produtora já produziu trabalhos das Africanas, Bruna Tatiana e Edmasia.

Percurso de Dom Caetano
Caetano Domingos António está ligado à música há mais de 40 anos. Subiu pela primeira vez ao palco em 1973, no Centro Cultural os Anjos, no Sambizanga, e foi acompanhado pelo conjunto Astros. Nesse mesmo ano, em companhia de alguns amigos dos bairros Mota e Cabuite, forma o conjunto “Os sete amigos”.
Ainda em 1973, actuou no “Surpresa 73”, do Rangel, como guitarrista baixo. Passou, também, pelos Sete Incríveis, do Sambizanga. Entre 1976 e 1979, como vocalista actuou no “Combo Revolucion”, em Havana.
De 1985 a 1996 actuou, como vocalista, nos “Jovens do Prenda”, passando pelo “Instrumental 1º de Maio” e Banda Movimento. Tem no mercado os discos “Adão e Eva” e “Mateus:7 versículo 7”.

Tempo

Multimédia