Cultura

Músicos britânicos pedem ajuda para evitar crise no sector

Paul McCartney, Ed Sheeran e The Rolling Stones estão entre os 1.500 músicos que pediram, hoje, ao governo britânico para ajudar os artistas a sobreviverem ao surto de coronavírus, com a realização de espectáculos ao vivo, informou a Reuters.

Paul McCartney alcançou fama mundial como membro da banda de rock britânica The Beatles, com John Lennon, George Harrison e Ringo Starr.
Fotografia: DR

“O futuro dos espectáculos e festivais, assim como das centenas de milhares de pessoas que trabalham neles parece sombrio”, escreveram os músicos numa carta aberta ao secretário de Cultura britânico, Oliver Dowden. 

“Até que o sector possa operar novamente, o que provavelmente ocorrerá apenas em 2021, o apoio do governo será crucial para evitar insolvências em massa e o fim desta indústria”, destacam na carta, onde pedem, também, um cronograma claro sobre quando os locais de música podem reabrir, bem como apoio à empresas e empregos.

Oliver Dowden respondeu já aos músicos num tuíte dizendo que “está se a esforçar muito por essas datas e para dar um roteiro claro”. Os locais de música, espectáculos e festivais, incluindo o de Glastonbury, foram fechados em Março.

Tempo

Multimédia