Cultura

Músicos trazem o fado aos palcos

Edvaldo Lemos

Os músicos angolanos convidados para a 5ª edição do Festival Caixa Fado, realizado na quinta-feira, no Cine Atlântico, em Luanda, deram provas de que são capazes de vencer os desafios a eles impostos.

Patrícia Faria (à direita) e a portuguesa Mel fizeram dueto
Fotografia: DR

Apesar de ser um festival de fado, género pouco comum entre os músicos angolanos, os artistas deram provas de que a organização escolheu bem o elenco desta edição, que teve como figura de destaque a fadista Amália Rodrigues, o ícone deste género.
O Cine Atlântico foi pequeno para acolher o público, disposto a conhecer esta “ponte artística” entre Angola e Portugal, criada através da música, num festival que trouxe nomes de ambos os países.
A primeira a actuar foi a cantora Patrícia Faria, que fez também dueto com as portuguesas Mel e Tânia Oleiro, nos temas “Estranha Forma de Vida” e “Conta Errada”. A ovação da plateia foi a primeira prova da boa escolha do elenco artístico.
Depois, foi a vez de Pérola interpretar a música “Malhão” e fazer um dueto com a fadista Lina no tema “Gaivota”. Após as primeiras actuações, a “ponte” já tinha sido estabilizada e, para dar maior garantia de sucesso, foi a vez de artistas como Cidália Moreira mostrarem a beleza do fado ao público.
Paulo Flores também marcou presença no palco com alguns temas, muito aplaudidos, e num dueto com o português Marco Rodrigues, em “Loucura” e “Nem às Paredes Confesso”. No final do dueto, a plateia aplaudiu de pé.
Para a portuguesa Mel, que veio ao país pela primeira vez, foi bonito partilhar o palco com cantores angolanos e ver a recepção do público. “Espero que agora estes músicos possam também ir actuar em Portugal. É muito bom poder trazer a tradição da música portuguesa a Angola. Foi uma união perfeita e, como os dois países estão bastante unidos, espero cantar temas angolanos”, revelou.
Patrícia Faria considerou, no final, o festival uma porta aberta e um incentivo à troca de experiências com cantores portugueses. “Foi uma óptima parceria para um dueto. Revela a vontade de todos os músicos convidados. Fico feliz por participar nesta homenagem a Amália Rodrigues, um ícone da música portuguesa”, disse.

Tempo

Multimédia