"Muxima" na Gulbenkian


8 de Setembro, 2015

Fotografia: Paulo Mulaza

O documentário sobre Angola intitulado “Muxima”, do realizador chileno Alfredo Jaar, foi exibido no fim-de-semana na Casa-Arquivo da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Estreado em 2005, o filme inclui músicas de Beto de Almeida, Paulo de Oliveira e do grupo Os Kiezos. O documentário foi apresentado em Luanda em 2007 durante a primeira Trienal de Luanda, organizada pela Fundação Sindika Dokolo.
 “Muxima” é um filme experimental de 36 minutos, composto de imagens avulsas recolhidas pelo realizador em diversas regiões de Angola, editadas sobre dez versões da tradicional canção angolana, que tem o nome do título. Cada versão representa um “canto” como na poesia. “É um poema visual dividido em dez cantos. Cada canto tem uma estrutura similar a um haiku - breve poema japonês -, centrado apenas em dois ou três temas, com grande economia de significados.
Em 2014 o filme abriu a 18.ª edição do Festival de Cine Recobrado, no Chile, dedicado a filmes antigos e pouco vistos apresentados em versões restauradas.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA