Cultura

“Muzongué” no Kilamba é dedicado à juventude

Em homenagem ao guitarrista Matumona, do agrupamento Ngoma Jazz, o espectáculo mensal Muzongué da Tradição junta, domingo, no palco do Centro Cultural e Recreativo Kilamba, em Luanda, os cantores Maya Cool, Calabeto, Bangãozinho e Edmazia.

Maya Cool é um dos cantores convidados para o espectáculo
Fotografia: João Gomes| Edições Novembro

Com acompanhamento da Banda Movimento, o espectáculo dedicado à juventude decorre entre as 11 e as 17 horas. O alinhamento é diversificado, com estilos musicais como kizomba e semba.
De acordo com o responsável do Kilamba, Estêvão Costa, o espectáculo visa dar voz à nova geração, conjugando a experiência de Calabeto, que vai interpretar canções do malogrado compositor e intérprete Bangão, uma das referências da música popular angolana.
O primeiro Muzongué da Tradição aconteceu  em Fevereiro de 2007, com o objectivo de promover a música das décadas de 60, 70 e 80 do século XX. Já passaram pelo palco do Centro Recreativo e Cultural Kilamba, antigo Maria das Escrequenhas, Calabeto, Robertinho, Bonga, Yola Se-medo e os convidados caboverdianos Roger e Gama.
Na última edição, homenageou os Bongos, um dos mais emblemáticos conjuntos da música popular urbana, que se destacou com maior notoriedade na província de Benguela. Fundado em 1971 nos arredores da cidade, concretamente no mítico bairro da Canata.
Em Junho de 2014, o “Mu-zongué” recebeu as actuações de Bangão, Tony do Fumo Filho e Clara Monteiro, e homenageou Prado Paím, o primeiro cantor a conquistar um disco de ouro, em 1974, marcando o momento mais alto da sua carreira, com a venda de 15 mil cópias, seguido por Alberto Teta Lando, com sete mil e Carlos Lamartine, quatro mil. Lançou o primeiro disco em 1974, pela gravadora Valentim de Carvalho, com o suporte dos Merengues. É autor de das canções “Juliana”, “Kusambela Nzambi”, “Engrácia”, “Nzenza” e “Bartolomeu”.

Tempo

Multimédia