Cultura

Nagrelha e Bruno King actuam juntos

Betumeleano Ferrão

O kudurista Amizade é homenageado amanhã, a partir das 14 horas, durante um espectáculo musical no Sambizanga, Rua dos Baianos, que tem como cabeça de cartaz Nagrelha e Bruno King.

Fábio Kingueira é um dos mentores da iniciativa
Fotografia: Contreiras Pipa

A ideia da organização, revelou ontem Fábio Kingueira, um dos mentores da iniciativa, é dar mais visibilidade ao que consideram ser o valioso contributo de Amizade no kuduro, como fundador dos Demónios do Sambizanga, grupo precursor dos Lambas. “Durante anos falou-se pouco dele, embora alguns saibam quem foi. Mas actualmente há pouca divulgação dos seus feitos”, disse.
Antes de anunciar o lema do espectáculo, “Em Homenagem ao Amizade”, e começar a divulgá-lo nas redes sociais, a organização, da qual também fazem parte Mané Galinha e Pago Hoje, irmão de Nagrelha, informou que acredita ser esta a me-lhor altura para resgatar o legado do malogrado. “Infelizmente, quando o grupo começou nunca teve a oportunidade de ir à televisão. É por isso que não há arquivos com a cara dele. Mas queremos agora lembrar os feitos do verdadeiro e único mentor do que é hoje Os Lambas”, esclareceu.
Amizade morreu há 13 anos. Contava 17 anos de idade. O seu assassinato nunca foi esclarecido, porém, foi sob a sua liderança que Os Lambas começaram a conquistar espaço no kuduro. “A ideia de criar um grupo foi dele. O Nagrelha já cantava no bairro. O Bruno King ainda não. E mesmo assim ele fez as coisas acontecerem”, afirmou Fábio Kingueira.
O espectáculo é realizado num dos locais em que Amizade fez furor. Os amigos de infância já se comprometeram, pelas redes sociais, a dar o seu contributo. “Vamos lembrar todas as músicas que cantou e já eram um sucesso”, garantiram.
Autor de sucessos como “O Quatro”, ou “Rebenta”, Amizade foi vocalista dos Lambas. Com a sua morte, o legado passou para Nagrelha, hoje um dos nomes mais sonantes do kuduro. “Não há dúvidas de que depois da tragédia o grupo teve mais destaque, mas por detrás de um grande grupo há sempre uma história e é esta que vamos recordar”, explicou. Os ingressos para o espectáculo custam 3.000 kwanzas para homens e 2.000 para mulheres.

Tempo

Multimédia