Neto de Picasso mostra arquivo inédito


12 de Novembro, 2014

Fotografia: AFP

Centenas de fotografias de Pablo Picasso nunca vistas foram reveladas ontem, por Bernard Ruiz-Picasso, neto do pintor.

O arquivo fotográfico apresentado ao historiador  britânico de arte John Richardson, é uma nova perspectiva sobre a vida e os amores do artista espanhol, salientou o jornal “The Guardian”.
Além das fotografias, o arquivo inclui filmes com a família e amigos, numa quantidade que John Richardson, 90 anos, dos maiores especialistas na obra de Picasso, descreve como “uma revelação”.
“São imagens de todos os períodos. É fascinante quando as comparamos com certos quadros ou acontecimentos da vida de Picasso. O material dá nova perspectiva à sua vida. Torna-a tridimensional. É absolutamente extraordinário”, disse.
“Estava muito empenhado em consegui-lo”, confessou ao jornal “The Guardian”, que reproduziu quatro das fotografias.
 “Sentimos nas imagens sobretudo quando é que ele estava completamente apaixonado ou quando já desinteressado”, salientou.
 As fotografias eram usadas por Picasso também para documentar a evolução de uma escultura ou para testar ideias num trabalho.
O historiador britânico, que foi amigo do artista nos anos 1950 quando este vivia no sul de França, escreveu três volumes de uma biografia de Picasso, “A Life of Picasso”, e está neste momento a trabalhar no quarto. Além disso, é o curador da exposição “Picasso & the Camera”, inaugurada no final de Outubro na Galeria Gagosian, em Nova Iorque, onde está até 3 de Janeiro, que mostra a relação intensa do artista espanhol com a fotografia.
A exposição inclui mais de 40 quadros, 50 desenhos e 225 fotografias, muitas provenientes do arquivo agora aberto devido à relação de amizade entre o historiador britânico e o neto de Picasso.
“The New York Times” lembra que esta é a quinta exposição sobre Picasso que John Richardson organiza com a Gagosian e que as anteriores se centraram sobretudo nas mulheres na vida do artista. Mas, disse o curador ao jornal nova-iorquino, “tinha esgotado as mulheres”. No centro da nova exposição está a relação de Pablo Picasso com a máquina fotográfica, “muito mais complexa, fascinante e reveladora” do que o próprio John Richardson imaginara.
Considerado um dos maiores e mais influentes artistas do século XX, Picasso é conhecido por ser o co-fundador do cubismo.
Para os críticos, ele é, ao lado de  Henri Matisse e Marcel Duchamp, um dos artistas que revolucionou as artes plásticas no século XX.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA