Ngonguita e amigos em recital de poesia

Mário Cohen |
2 de Setembro, 2016

Um grupo de artistas, actores e trovadores  participou, na noite de quarta-feira, no Centro Cultural Brasil Angola, em Luanda, num recital de poesia e trova, denominado “Ngonguita Diogo e Amigos”, no âmbito da cooperação cultural entre aquela instituição brasileira e criadores angolanos.

A actividade, que visou prestigiar a arte de declamar por forma a conquistar mais espaço no mercado, foi aberta pela exibição do espectáculo de teatro “Acudam Maria do Rangel”, uma adaptação do livro homónimo da poetisa Ngonguita Diogo, pelo colectivo de artes Nai Teatro.
O grupo transportou para o espaço cénico o resumo dos 11 capítulos do livro, que tem como figura principal Maria do Rangel. O livro narra a época de inversão de valores que a sociedade angolana vive actualmente, onde imperam a hipocrisia e a falsidade, quer como algozes, quer como vítimas.
A protagonista da noite, Ngonguita Diogo, além de declamar poemas da sua autoria como “A cor da minha vaidade”, “Ama-me” e “A sedutora”, acompanhada pelo trovador Jaime Chacale, recitou também “Bamuku”, poema de Agostinho Neto.
Juntaram-se à iniciativa vários declamadores que estão a despontar no mercado, com destaque para Olívio Gomes, que declamou “Retrato de infância”, Adriana Borboleta, com “Saudades do amor”, Helena Dias, com “A solução”, e  Júlio Gil que, na companhia da anfitriã, declamou “O mundo perfeito”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA