Njinga Mbande venceu o Carnaval

Mário Cohen |
11 de Fevereiro, 2016

Fotografia: Kindala Manuel

O grupo carnavalesco União Njinga a Mbande, do município de Viana, com 864 pontos, conquistou o título da edição deste ano do Carnaval de Luanda, cujo desfile central se realizou na tarde de terça-feira, na Marginal da Praia do Bispo, na qual a colectividade fez a diferença ao ser o único a exibir um ritmo diferente, a Cabecinha.

O grupo, que já tem um título conquistado em 2013, procurou recuperar a mística que lhe é característica. Levou para o desfile uma coreografia ao som do tema “Kitembo”, termo quimbundu que em português significa “Tempestade”, na qual a ideia foi chamar a atenção para as construções anárquicas existentes em Luanda.
O segundo lugar foi ocupado pelo grupo União Kiela, com 773 pontos, seguindo do União 10 de Dezembro, com 711, União Mundo da Ilha, com 700 pontos, e União Jovens da Cacimba, com 670.
Por força do regulamento do concurso, o União Sagrada Esperança, quinto classificado, foi penalizado com menos 35 votos, sendo cinco em cada categoria (canção, dança, alegoria, corte, painel, comandante e falange de apoio) por não ter desfilado no seu lugar, de acordo com a ordem do desfile, na terça-feira. Nesta categoria, descem para a classe B no próximo ano o União 17 de Setembro, oitavo classificado com 630 pontos, o União Nova Geração do Mar, com 615, na nona posição, o União Amazonas do Prenda, com 599 pontos, em 10.º lugar, o União Café de Angola, 11.º com 580 pontos, e o União Jiza, 12.º. com 554 pontos.
O estreante União Recreativo do Kilamba conquistou o título na classe B, garantindo a subida à classe A do Carnaval de Luanda, no próximo ano. Terceiro a desfilar no domingo, o grupo fez uma homenagem à banda As Gingas do Maculusso. Fruto do segundo lugar obtido, o União Operário Kabocomeu, do distrito urbano do Sambizanga, com 726 pontos, regressa ao convívio dos grandes do Carnaval de Luanda, à semelhança do terceiro classificado, o grupo União 54, com 691 pontos. O Etu Mudietu, com 670 pontos, ocupou a quarta posição e o Twabixila, com 616 pontos, a quinta. Os cinco primeiros colocados da classe B têm garantida a subida à classe A, em 2017. À semelhança do Sagrada Esperança, na classe A, o União Kilamba Kiaxi, na classe B, também foi penalizado com a retirada de 35 pontos, sendo cinco em cada categoria em avaliação. Por força do regulamento, os grupos União Dimba dya Ngola, União Kwanza, União Jovens do Mukuaxi e União Juventude do Kilamba Kiaxi vão disputar no próximo ano a liguilha nas suas respectivas municipalidades.

Classe infantil


O Cassules Viveiro Njinga a Mbande, na classe infantil, venceu o Carnaval de Luanda com 875 pontos, segundo os resultados divulgados ontem na Liga Africana pela comissão organizadora desta manifestação cultural.
O segundo lugar foi ocupado pelo grupo 10 de Dezembro, com 824 pontos, o Jovens da Cacimba, com 772 pontos, ficou em terceiro. Os dois grupos são do distrito urbano da Maianga. O quarto colocado é o Amazonas do Prenda, também da Maianga, com 768 pontos, e na quinta posição ficou o Cassules Sagrada Esperança, do Rangel, com 735 pontos.

Reacções


O responsável do União Njinga Mbande, António Domingos, vencedor do Carnaval de Luanda, na classe A, de adultos, e C, de infantis, considerou a vitória fruto de um trabalho árduo.
Para António Domingos, o feito já podia ser alcançado na edição passada do Carnaval. A vitória do grupo infantil, explicou, marca uma nova era no viveiro do Njinga Mbande, por escrever o seu nome na lista dos vencedores.
O objectivo agora, destacou, é trabalhar para a próxima edição, onde “pretendem revalidar o título obtido. Esta é a segunda vez que o União Njinga Mbande vence o Carnaval de Luanda, a primeira foi em 2013.
Por sua vez, o director do grupo União Recreativo do Kilamba, do distrito do Rangel, Poli Rocha, disse ter tido expectativa numa eventual vitória. “O objectivo era vencer, porque trabalhamos durante meses para tal feito”, disse.
Poli Rocha reconheceu que não vai ser fácil permanecer na classe A, pelo número e dimensão dos candidatos ao título. “O objectivo  agora é trabalhar para o grupo ter uma regularidade na festa. O grupo tem elementos muito experientes que já dançam há anos e uma boa organização”, defendeu Poli Rocha.
O grupo União Recreativo do Kilamba, do distrito urbano do Rangel, foi criado no ano passado por antigos elementos do grupo carnavalesco União Sagrada Esperança, do mesmo distrito, que já conquistou dois títulos no Carnaval de Luanda.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA