Cultura

Novo protocolo assinado no teatro

Um acordo de cooperação, para o reforço de intercâmbio e parcerias de projectos em artes cénicas, foi assinado, entre a Globo Dikulo, de Angola, e a Companhia de Teatro de Moçambique, informou ontem a Angop.

Colectivos nacionais vão ganhar mais experiência e criar parcerias com grupos moçambicanos
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro

O acto de assinatura aconteceu no Anim’Art, município do Cazenga, em Luanda, onde decorreu, até domingo, a 14ª edição do Festival Internacional de Teatro (Festeca 2019), no qual participaram vários colectivos nacionais, assim como do Brasil, África do Sul, Moçambique, Portugal e Cabo Verde.
A directora do Centro Recreativo e Artístico de Maputo, Givigliola Zacar, disse, à margem da assinatura, que o acordo vai reforçar a parceria a nível do teatro entre Angola e Moçambique, assim como é “uma conquista importante, pelo facto de não existir uma rede do género entre os países africanos de língua portuguesa.”
Para a actriz moçambicana, o teatro é uma ponte para maior aproximação entre os povos, porque além de incentivar a partilha de experiências, ajuda a criar espaço para outras relações bilaterais. “O intercâmbio começa nas relações culturais, com a troca de impressões, depois evolui para o campo económico e político”, destacou.
Por sua vez, a brasileira Micheli Lomba, do Colectivo Delimitada de S. Paulo, enalteceu o Festeca, por ser um festival de teatro de referência em África e por acolher grupos de diferentes países, que levam um pouco da experiência das suas realidades para serem partilhadas em palco. “É uma forma de conhecermos mais outras sociedades, através da arte e da educação.”

Tempo

Multimédia