Cultura

Novos sítios históricos na lista do património

O Comité do Património Mundial, reunido na sua 41.ª sessão em Cracóvia (Polónia) desde o passado dia 2, concluiu ontem os seus trabalhos, tendo aprovado durante esta sessão a inscrição de 21 novos sítios na Lista do Património Mundial, assim como estendeu ou modificou os limites de cinco locais que já estão alistados pela UNESCO.

Trabalho dos especialistas foi decisivo para Mbanza Kongo
Fotografia: Adolfo Dumbo | Mbanza Kongo | Edições Novembro

Com as novas inscrições eleva-se para 1.073 o número total de sítios na Lista do Património da Humanidade. Pela primeira vez, os locais Angola, com Mbanza Kongo, Vestígios da Capital do antigo Reino do Kongo, e Eritreia, com Asmara uma cidade modernista em África, foram inscritos na Lista do Património da UNESCO.
Dos novos locais alistados, três são naturais, nomeadamente Parque Nacional Los Alerces (Argentina), Qinghai Hoh Xil (China) e Paisagens do Dauria (Federação Russa Mongólia) e as restantes são sítios culturais, incluindo a cidade histórica de Mbanza Congo.
Na 41.ª sessão do Comité do Património Mundial foram analisadas um total de 34 sítios inscritos na Lista da UNESCO, sendo sete naturais, 26 culturais e um misto. O comité também analisou o estado de conservação de 99 sítios do Património Mundial e de 55 sítios inscritos na Lista de Património em Perigo.
A Comissão decidiu, uma redução significativa no perímetro do local georgiana da Catedral Bagrati e Monastério de Gelati, e a retirada de Mosteiro Gelati da Lista do Património Mundial em Perigo.
O Comité do Património Mundial também aprovou a retirada do Parque Nacional Simien (Etiópia) e Parque Nacional Comoé (Costa do Marfim) da Lista do Património Mundial em Perigo.

Tempo

Multimédia