Cultura

Nsoki marca presença em festival no Canadá

Roque Silva

Nsoki actua no dia 17 de Agosto em Toronto, na gala do “Àfrica All Star Music Fest”, que passa a acolher, anualmente, a partir de agora ritmos africanos.

Cantora prossegue com a internacionalização da sua carreira
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

A cantora angolana, segundo a organização, foi convidada a participar no festival internacional “por ser uma das melhores intérpretes de música contemporânea e electrónica no continente berço africano.”
Com a carreira em ebulição e a popularidade a crescer todos os anos, fruto dos oito troféus conquistados em 12 prémios internacionais em 2017, Nsoki promete levar o ritmo que lhe é característico ao “África All Star Music Fest”.
A artista, carinhosamente tratada como “princesa do zouk”, prepara a performan-ce que inclui alguns temas da sua discografia e o potente som electrónico de “África Unite” e o mais recente “African Sunrise”, este, em colaboração com o cantor tanzaniano Rayvanny, “Melhor Artista Africano” pelos BET Awards, edição 2017, interpretado em kikongo, inglês e swahili.
Nsoki integra uma lista de oito jovens artistas africanos confirmados para o festival, considerados nomes sonantes da música contemporânea de África, designadamente, Zahara, da África do Sul, Yemi Alade, Nonso Amadi, Falz e Dj Spinall, da Nigéria, Alikiba, da Tanzania, e Sheebah, do Uganda.
Nsoki foi a artista angola-na mais premiada no exterior, durante o ano passado. Foram no total 8 de 12 troféus, todos conquistados com o tema “África Unite”, uma parceira com os Dj’s Paulo Alves e o sul-africano Maphorisa. Melhor Vídeoclip e Melhor Participação nos prémios Hollywood and African Prestigious (HAPAwards), um dos troféus na qual recebeu maior elogio da crítica.

Tempo

Multimédia