Oásis contra tabus sociais

Manuel Albano
31 de Julho, 2015

“Galinha-do-Mato” é o título do espectáculo do grupo de teatro Oásis, da Força Aérea Nacional,  apresentado hoje, às 20h00, na Liga Africana, em Luanda, com intuito de analisar comportamentos das pessoas do campo nas sociedades modernas.

O espectáculo, encenado apenas por mulheres, é uma adaptação da peça de John Barata, estreada em 1997. A peça, que tem a duração de uma hora, conta a história de um adolescente que adquire os poderes do antigo quimbanda da aldeia depois de violar a galinha deste.
Devido ao acto, a personagem principal torna-se num esquizofrénico movido por um comando à distância, que tenta, a qualquer instante, violar uma sobrinha.
Fernanda de Carvalho, actriz do grupo, disse ao Jornal de Angola que a peça procura chamar a atenção para alguns tabus da sociedade luandense, relativamente a questões tradicionais. A peça, disse, é representada, pela primeira vez, apenas por mulheres. “Doze actrizes têm a missão de mostrar a sociedade as suas qualidades, criatividade e capacidade  de poder desempenhar ou exercer actividades normalmente atribuídas os homens. Na peça até as personagens masculinas são encenadas por senhoras. Os actores do grupo vão apenas trabalhar nos bastidores”, explicou.
O grupo de teatro Oásis, com 25 elementos e fundado em13 de Março de 1988,  foi distinguido, em 2013, com o Prémio Nacional de Cultura e Artes e já conquistou  os prémios Festival de Luanda, em 1995, e o de Teatro do Lobito. 
“O Batuque”, “A Morte do Velho Kipacaça”, “As Velhas Profissões”, “Undengue Wami”, “Paz no Mundo”, “Sete Dias na Barraca”, “Bié, o Drama de Muayala”, “Michornias de Chongoli”, “Quem ficará no Lugar”, “Luanda e Parentesco”, “Os Gémeos”, “Rosa Vento”, “Reino das Pedras”, “Choro de Um Povo”, “Luanda e Parentesco”, “Lueji” e “Cafezal” são alguns dos espectáculos mais representadas pelo grupo de teatro Oásis ao longo dos seus anos de carreira.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA