Oásis recebe a maior distinção do festival

Roque Silva |
14 de Abril, 2015

Fotografia: Kindala Manuel |

O colectivo de teatro Oásis recebeu, na Liga Africana, o Prémio da Paz, pela exibição da peça “Desafio no Cafezal”, no Festival de Teatro da Paz por ser o espectáculo com melhor argumento sobre a resolução de conflitos.

A peça, da autoria de Jon Barata e encenação de António Flor, com a duração de 50 minutos, trata de assuntos tidos como tabu em diversas localidades do Uíge, como a homossexualidade.
O colectivo de teatro Oásis foi fundado em 1988, e venceu o Prémio Nacional de Cultura e Artes, em 2013. Tem realizado, periodicamente, digressões em Angola e no exterior do país, com destaque para a participação no Festival de Artes e Culturas, na África do Sul, no Festival de Teatro da SADC, em Maputo, na Escola de Verão de Artes da Fé Bahai, em Harare, e na Bienal dos Jovens Criadores da CPLP, em Portugal. As peças “Galinha-do-mato” e “Njinga Mbande” são algumas de sucesso do Oásis.
A organização do festival distinguiu o colectivo infantil Catarzes Teatro e a actriz Conceição Manuel, do mesmo colectivo, com o prémio revelação.
Hilário Belson, do Dadaísmo, foi eleito o melhor actor, Conceição Diamante, do Julu, a melhor actriz, enquanto Jone Chipipa, do 1º de Maio, o actor revelação. Os distinguidos receberam diplomas de mérito.
O director do festival afirmou que a quinta edição superou as anteriores, por reunir grupos históricos e espectáculos de melhor qualidade.
O festival deste ano, disse Osvaldo Moreira, recebeu poucos apoios, mas permitiu realizar debates sobre o estado actual do teatro em Angola, encontros entre encenadores e actores com o público, no intervalo dos espectáculos. A presença dos grupos é o maior incentivo para manter a regularidade do  festival.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA