Obra de Monir Shahroudy patente no Museu Serralves


12 de Outubro, 2014

Fotografia: Prestigiado Museu de Serralves recebe a primeira exposição antológica da artista iraniana

O prestigiado Museu de Serralves em Portugal acolhe até 11 de Janeiro do próximo ano a primeira exposição antológica da iraniana Monir Shahroudy, que se centra na obra escultórica e gráfica da artista e inclui peças da sua colecção privada.

Esta é a primeira vez que o trabalho de Monir Shahroudy, de 90 anos, é mostrado em Portugal, numa exposição que fica patente durante três meses.
Sob o título “Possibilidade infinita. Obras em espelho e desenhos”, a exposição exibe a obra realizada pela artista durante as últimas quatro décadas e é composta, na sua maioria, por peças da sua colecção privada, que não são vistas desde os anos 70.
Embora parte do trabalho se centre na pintura narrativa, Monir explicou que são os seus laços com as tradições estéticas da arquitectura e decorações islâmicas e o seu distintivo enfoque na abstracção geométrica os elementos que dão à sua obra a “infinita possibilidade” da qual fala.
Entre as peças exibidas no Museu de Serralves, encontram-se alguns dos seus primeiros relevos em espelho sobre gesso e madeira, assim como uma série de obras geométricas realizadas com espelhos a grande escala.
A exposição também oferece uma perspectiva sobre a produção artística de Monir durante os anos que esteve exilada nos Estados Unidos, depois da Revolução Islâmica de 1979.Assim, quem visitar o museu pode apreciar um conjunto de portas de cristal gravado que a artista criou para a sua casa de Nova Iorque nos anos 80, assim como esculturas com espelhos baseadas em famílias geométricas que Monir realizou na última década, após regressar a Teerão.
A exposição é acompanhada de catálogos ilustrados com ensaios da directora do museu, Suzanne Cotter, a especialista em História da Cultura do Médio Oriente Shiva Balaghi, e a historiadora e crítica de arte Media Farzin.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA