Cultura

Obras do Centro Histórico arrancam ainda este ano

Os trabalhos de conservação e restauração de alguns vestígios do Centro Histórico de Mbanza Kongo, província do Zaire, vão custar 300.000 euros, valor a ser aplicado, este ano, pelo Ministério da Cultura (Mincult).

Exposição do Museu dos Reis do Kongo será renovada
Fotografia: DR

O facto foi anunciado, quinta-feira, à imprensa, em Mbanza Kongo, pelo director nacional dos Museus do Mincult, Ziva Domingos, tendo explicado que o valor a ser investido é proveniente de um financiamento da Embaixada da França em Angola e a petrolífera Total.
“Este valor vem de um financiamento resultante de um acordo de parceria estabelecido, em 2019, entre o Mincult, a Embaixada da França em Angola e a empresa petrolífera Total”, sublinhou.
Fez saber que as obras de reabilitação e preservação vão abranger a casa do secretário do rei, que passará a servir como centro de interpretação da cidade, apetrechamento da biblioteca municipal Kimpa Vita, renovação da exposição do Museu dos Reis do Kongo e criação de um arquivo de história do antigo Reino do Kongo, para suportar os trabalhos de investigação sobre a região.
O director nacional dos Museus integrou uma equipa técnica do Mincult, da qual fizeram parte responsáveis da Embaixada da França em Angola e da petrolífera Total, que em Mbanza Kongo trabalhou no levantamento das necessidades para a concretização deste projecto.
Durante a estada de três dias, que ontem terminou, a comitiva manteve um encontro de trabalho com os membros do governo local, orientado pelo governador da província do Zaire, Pedro Júlia.
O Centro Histórico de Mbanza Kongo foi inscrito na lista do Património Cultural da Unesco a 8 de Julho de 2017, em Cracóvia, Polónia.

Tempo

Multimédia