Obras da Fortaleza concluídas este ano

Marcelo Manuel | Cambambe
12 de Setembro, 2015

As obras de preservação e estabilização das Ruínas de Cambambe, que inclui a fortaleza e a Igreja da Nossa Senhora do Rosário, construídas entre 1602 e 1604 pelos colonizadores portugueses, com o objectivo de penetrar no interior de Angola, ficam prontas em finais de Dezembro próximo, informou o empreiteiro.

Tiago Arnaldo, um dos responsáveis da Odebrecht, empresa encarregue da recuperação do referido monumento, disse ontem que o trabalho decorre a bom ritmo. O responsável acrescentou que o forte e a igreja vão manter a antiga imagem. “Os engenheiros, arquitectos e pedreiros possuem formação específica”, garantiu.
O Ministério da Cultura, em parceria com o Governo Provincial do Cuanza Norte, assinou um contrato com a construtora Odebrecht em 2014, na 5.ª edição da Feira do Dondo, com o intuito de recuperar os principais monumentos históricos e culturais situados ao longo do Corredor do Cuanza. A direcção do Instituto Nacional do Património Cultural informou que, depois da restauração, o monumento vai ser usado para a realização de vários estudos.
O director provincial da Cultura considerou importante a preservação dos monumentos. “A conservação do património histórico-cultural é também uma referência à identidade e memória de diversos grupos étnicos e culturais”, disse David Buba.
A Fortaleza de Cambambe serviu de posto avançado à penetração dos portugueses no interior do país. Na altura, possuía dependências como a Igreja da Nossa Senhora do Rosário, erguida para expandir o catolicismo, e a Feitoria, residência para oficiais.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA