Obras de Kapela na galeria Tamar Golan

Francisco Pedro|
1 de Março, 2015

Fotografia: Paulino Damião

O artista plástico Paulo Kapela apresenta seis instalações na sua primeira exposição individual, “Kapela”, que abre na terça-feira às 18 horas, na Galeria Tamar Golan, em Luanda.

As instalações reúnem pinturas representativas da trajectória do artista, desde motivos rurais que caracterizam o aprendizado na famosa escola congolesa Poto-Poto, às colagens de recortes de jornais, revistas e artefactos sobre papel e sobre tela.
Além das pinturasrecuperadas e produzidas este ano, a mostra congrega um vídeo documental de 15 minutosque revela o passado, o presente e perspectiva o futuro do pintor, com o apoio da Fundação Arte e Cultura.
Paulo Kapelaé um dos ícones da arte contemporânea angolana, a sua inspiração gravita em torno da dicotomia “o bem e o mal”. Para ele, “o coração do homem é templo de Deus ou oficina de Satanás”. Efusivamente preocupado com as acções do homem e reconhecendo que o mal abunda nas relações interpessoais, Kapela apela à paz e ao amor. O livre arbítrio, em que o homem tem a livre escolha de optar pelos seus interesses tanto materiais como espirituais, constitui uma das suas mensagens.
Algumas pinturas bem como objectos descartáveis que recolhe e transforma em obras de arte simbolizam a mensagem bíblica da Arca de Noé.
“São testemunhos sobre as fases em que passa a nossa sociedade, pois tudo que nos rodeia representa vida. Como artista, sinto que tenho o compromisso de servir sem julgar ninguém.”
Parte das obras de Kapela revelam chefes de Estados, divindades, artistas eincluem um auto-retrato. A intenção é abordar profecias e profetas, pois “todas as pessoas podem ser profetas, desde que respeitem o Criador, que está acima de tudo”.
A exposição foi preparada há dois meses e está patente ao público até 16 de Março. O intuito é apoiar emocional e financeiramente o artista, que deixou de viver no edifício Mendes Valladas, à baixa de Luanda, e foi transferido para o Lar do Beiral, na Terra Nova, desde o ano passado. Paulo Kapela nasceu no Uíge em 1947e começou a pintar em 1960. A internacionalização da obra começou em 1995 e pertence a várias colecçõesde arte contemporânea africana, como a Sindika Dokolo.
O trabalhode Capela é apreciado ao lado de obras de artistas famososdo mundo, em exposições itinerantes, à semelhança da mostra “Africa Remix”, apresentada em Londres, Paris e Tóquio, entre 2004 e 2005.  Em 2003, participou em “Tons e Texturas da Angolanidade” e foi homenageado com o prémio do Centro Internacional de Civilizações Bantu (CICIBA), de Brazzaville, facto que lhe rendeu parte do reconhecimento internacional que desfruta.
Em 2013, integrou a exposição “No Fly Zone”, em Lisboa, pela Fundação Sindika Dokolo. Conhecido também como “O Profeta” e “O Mestre”, Paulo Kapela é herdeiro da “École de Peinture de Poto-Poto”, situada no bairro do mesmo nome de Brazzaville, onde se formaram grandes artistas angolanos, como Masongui Afonso e Kabisi Remos.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA