Ombala Grande no património

Estácio Camassete | Huambo
20 de Maio, 2016

Fotografia: Francisco Lopes | Huambo

A Ombala Grande de Samisasa, a corte do Reino do Huambo, foi elevada, na quarta-feira, à categoria de Património Cultural Nacional, durante os festejos do Dia Mundial dos Museus.

A cerimónia de elevação começou com o ritual de invocação aos ancestrais, reis e sobas do reino da Ombala, proferido pelo actual soberano, Armando Tchongolola Tchimuku, que pediu bons ventos para a província.
O actual rei enalteceu  a iniciativa do Ministério da Cultura e considerou gesto significativo no reconhecimento de uma cultura, que durante anos foi uma referência.
O director dos Museus disse que o Huambo precisa de um museu regional, com as principais peças museológicas sobre a História dos povos da região. “É uma forma de valorizar e preservar o património e a cultura local”, disse  Ziva Domingos.
O Reino do Huambo foi fundado em 1640 e em 1902 foi palco de batalhas, encabeçadas pelo rei Livongue contra a ocupação colonial. 

O acto no Moxico

A importância dos museus na preservação da identidade cultural de um determinado povo foi realçada, na quarta-feira, no Luena, pelo director da Cultura do Moxico, como forma de salvaguardar o testemunho do passado às novas gerações. Noel Manuel vê os museus como instituições importantes na preservação, valorização e divulgação do conteúdo histórico cultural dos povos. “É através dos museus que as novas gerações tomam conhecimentos sobre os costumes e outros aspectos culturais do passado”, sublinhou.
O director da Cultura do Moxico lamentou o facto de não existir um museu na região, mas anunciou que pode ser construído um em 2017. Porém, pediu às autoridades tradicionais para colaborarem com a direcção de Cultura e continuarem a produzir peças artesanais para serem armazenadas, até abertura do museu na província.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA