Cultura

“Os Jovens do Prenda” celebram meio século

O agrupamento “Os Jovens do Prenda” celebra domingo, as bodas de prata no palco do Centro Cultural e Recreativo Kilamba, em Luanda, com um espectáculo  inserido no programa Muzongué da Tradição.

Augusto Chacaya uma figura emblemática dos “Jovitos”
Fotografia: Edições Novembro

Meio século depois da sua criação por Chico Montenegro, Didi da Mãe Preta, Tony do Fumo, Augusto Chacaya, Kangongo, Mingo e Verry Inácio, o agrupamento continua a ser das principais referências da música urbana angolana, deixando em palco a riqueza e o valor da identidade cultural do povo angolano.
Detentor de um rico cardápio musical, onde se destaca temas como  “Tendinha”, “Desespero”, “Chiquita”, “Nguenda Nyubeka” e “Longa Marcha”,   “Majame”, “Samba Samba” e “Nova Cooperação”,  entre outras, que tem provocado um alvoroço entre as pessoas nos palcos por onde actua, o agrupamento, que já vai na sua quarta geração, continua fiel à sua linha rítmica e melódica para satisfação da enorme legião de fãs espalhados pelo país.
Apesar da idade, o agrupamento, que se mostra  com uma jovialidade, é cada vez mais um acérrimo defensor dos ritmos nacionais, deixando em todos os momentos que sobe em palco o cheiro da essência da música angolana de raiz, fundido no ritmo e no estilo de dança semba.
O agrupamento tem como característica peculiar o seu andamento rítmico. “Os Jovens do Prenda” tem uma sonoridade exclusiva, obtida pela fusão de ritmos locais com forte influência de um importante músico que fez história na música popular do Congo Democrático, o guitarrista Dr. Nicó.

Tempo

Multimédia